Dengue: Focos do mosquito triplicam em Guarapuava

Estudantes do Colégio Ana Vanda Bassara reforçaram a fiscalização, feita pela equipe de agentes de endemias no Cemitério Municipal

Na terça-feira (22) estudantes do Curso de Técnico em Enfermagem do Colégio Ana Vanda Bassara reforçaram a fiscalização feita pela equipe de agentes de endemias no Cemitério Municipal. Ao todo, 20 estudantes e três funcionários participam do mutirão. O objetivo foi remover possíveis focos do mosquito da dengue.

De acordo com a chefe da Divisão de Vigilância em Saúde, Suzana de Souza, nessa época do ano, com mais chuvas, as embalagens e objetos deixados nos cemitérios se tornam criadouros do mosquito.

“Lembramos que sempre que alguém for ao local, olhe se não há acúmulo de água nos recipientes, também deve se evitar levar objetos que acumulem água. Apesar de não termos registrados casos de dengue no Município, a grande infestação do mosquito gera um grande perigo caso o vírus chegue até a cidade”, explicou.

Em pouco mais de uma hora, a varredura minuciosa foi realizada em todo o Cemitério Municipal, no Bairro Santa Cruz. A equipe encontrou jazigos e floreiras com água parada. Durante a visita também coletadas larvas para análise. Veja o vídeo.

“Os alunos estão preocupados com a quantidade de focos encontrados no município e quiseram ajudar. Isso é muito importante. Toda a sociedade tem que se envolver e combater o mosquito, evitando o pior”, comentou a coordenadora do Programa Nacional de Controle a Dengue (PNCD) em Guarapuava, Sabina Curi.

Levantamento – O último levantamento feito pelos agentes de endemias constatou que a quantidade de focos triplicou nos últimos meses, fechando o índice de infestação em 1,8. Um patamar nunca antes alcançado.

“Isso significa que cada morador deve eliminar os criadouros em casa, pois o mosquito tem encontrado condições de se multiplicar. O lado positivo é que o vírus não está circulando pela cidade. Por isso, as ações de prevenção são importantes, para diminuirmos as chances de ter uma epidemia”, alertou Sabina.

Foram encontrados criadouros dos mosquitos em todos os bairros, mas o Vila Bela e o Jardim das Américas são os mais infestados pelo mosquito.

Os agentes continuam fazendo vistorias quinzenalmente nos cemitérios e visitando diariamente as residências da cidade, além de ruas, praças e terrenos baldios.

Medidas – Entre as medidas de prevenção, a principal é evitar locais com água parada. O morador deve verificar se a caixa d’água está bem tampada, bem como deixar as lixeiras bem tampadas, colocar areia nos pratos de plantas, recolher e acondicionar o lixo do quintal e limpar as calhas.

Quem costuma guardar água da chuva para aproveitá-la também deve guardar em um recipiente adequado com tampa para que não se torne um criadouro.