Paranaenses desenvolvem tecnologia para o setor habitacional

Plataforma criada, chamada Habicad já atendeu 20 mil famílias em Ponta Grossa

Um estudo conduzido pela Artemisia, organização sem fins lucrativos que trabalha no fomento de negócios de impacto social, e pela siderúrgica Gerdau, revelou grandes oportunidades no setor de habitação.

Em 2017, 13% da população, em geral, vivia em domicílios inadequados e 28% da população com renda mensal inferior a R$406,00 possuía ao menos uma inadequação na residência.

Assim, a pesquisa intitulada Tese de Impacto Social em Habitação mostra que há espaço para que a iniciativa privada consiga empreender, inovar e crescer, gerando impacto positivo para a população em situação de vulnerabilidade social.

A tese é recente, mas o grupo Habicad já havia percebido essa oportunidade no setor habitacional em 2015, quando os ventos da tecnologia sopravam fortes. Nesse mesmo ano, então, unindo os avanços tecnológicos e as possibilidades no setor, resolveram criar a Habicad, uma plataforma online para gestão habitacional pública.

Segundo o diretor de novos negócios da Habicad, Irapuan Moro, a Habicad consiste em uma plataforma que controla todo o processo de gestão de programas habitacionais, auxiliando no armazenamento, análise e controle de dados das famílias inscritas. “Além disso, permite aos cidadãos terem acesso via internet a todas as etapas de seu processo e alterações realizadas, acrescentou.

De acordo com o o diretor de tecnologia, Adriano Krzyuy, a plataforma foi desenvolvida dentro da legislação brasileira pra atender as companhias de habitação ou secretarias de habitação. “É toda em ambiente web, o que permite uma flexibilidade da companhia para realizar toda a gestão. Ela gerencia o fluxo de trabalho, faz toda a gestão de atendimento, de filas, e controle de todo o processo de regularização fundiária. É um sistema bastante completo e moderno, garantiu o gerente. 

Ainda de acordo com o gerente, a ferramenta oferece serviços como imagens em tempo real, que facilitam a fiscalização de pontos de favelização e relocação de famílias em situação de precariedade habitacional; cadastro dos munícipes com total segurança, nível de acesso controlado e transparência auditável; acompanhamento com gráficos e análises socioeconômicas que auxiliam o gestor na hora de priorizar grupos familiares; módulo de gestão financeiro de contas; banco de dados totalmente digital para gestão dos contratos dos mutuários, permitindo um acompanhamento do histórico completo dos empreendimentos; ouvidoria para denúncias e esclarecimentos, possibilitando que qualquer munícipe ajude a fiscalizar irregularidades, entre outros.