Catarinenses, gaúchos e cearenses reforçam equipes da Ouro

Falta pouco mais de um mês para o início do Campeonato Paranaense de Futsal, Chave Ouro, que reúne as grandes forças do estado em confrontos repletos de rivalidades e com vários atletas de que identificam fortemente com suas torcidas e com suas regiões de origem.

Grande parte dos jogadores, porém, vem de outras cidades e de outros estados. Em alguns casos, temos até jogadores de outros países (como o ala Japonês Genki Kitai, que jogará sua segunda temporada por Dois Vizinhos).

Nesta temporada teremos, mais uma vez, muitos jogadores vindos de outros estados. Apesar de não serem necessariamente nascidos nos estados vizinhos, o tempo de trabalho em outras regiões sempre é importante para 'oxigenar' o futsal paranaense. Este intercâmbio é vital para que as equipes busquem novas informações, novos cenários e evoluam, dentro e fora da quadra.

Segundo levantamento do 'Mercado da Bola do Futsal Paranaense', até o momento foram contratados 100 jogadores (não levando em conta as renovações). Destes, a grande maioria vêm de outras equipes do Paraná (55).

O estado que mais exportou atletas para a Chave Ouro foi Santa Catarina, com 20 jogadores. Na sequência, aparecem Rio Grande do Sul (7), Ceará (6) e São Paulo (4). Completam a lista mais 3 atletas vindos do exterior e os estados de Minas Gerais, Bahia, Goias, Pernambuco e Rio de Janeiro aparecem com 1 jogador cada.

Uma questão que deve ser levada em conta é que muitas equipes preferem contratar jogadores que já estão no Paraná. Um dos motivos é a adaptação dos atletas, que já estão habituados com as competições e com a vivência dentro do estado. Outro motivo é financeiro, pois os custos das transferências interestaduais e internacionais são mais elevados do que as transferências estaduais.

Um exemplo de time que apostou em jogadores que já estavam no estado foi a ACF, que promoveu uma grande reformulação em seu elenco, mas contratando todos os seus 12 atletas dentro do Paraná. Outra equipe que se concentrou nas contratações dentro do estado foi o Marreco: das 10 novidades, 8 já estavam no Paraná.

Por outro lado, clubes com orçamentos maiores e que disputam competições nacionais são propensas a contratar jogadores de fora do estado. O CAD/Guarapuava Futsal, por exemplo, contratou 8 jogadores vindos de fora do estado (5 de Santa Catarina, 2 de São Paulo e 1 da Bahia.

Outro clube que apostou bastante em jogadores de fora foi o Umuarama Futsal, que trouxe 5 atletas vindos do Ceará, 1 de Santa Catarina, 1 de São Paulo e 1 do Rio de Janeiro. A Copagril/Marechal C. Rondon vem logo em seguida, com 4 jogadores de Santa Catarina, 1 do Ceará, 1 de Minas Gerais e 1 vindo do exterior.

Entre as equipes que não disputarão competições nacionais em 2015, os que mais 'importaram' foram o Keima/Ponta Grossa (6 atletas), o Caramuru/Castro (5) e o Foz Cataratas (4).

Na contramão desta tendência, o Cascavel Futsal (que volta disputar a Liga Futsal neste ano), trouxe apenas 3 reforços vindo de clubes de fora do estado. O motivo foi o grande número de renovações (13) que devem garantir à Serpente um bom entrosamento neste início de temporada.