Rural  

Indicador do boi gordo cede 4% em termos reais em 2016

A oferta restrita de animais para abate limitou a pressão que o mercado de carne bovina mais fraco em 2016 exerceu sobre os preços da arroba do boi gordo. Levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) mostra que ao longo do ano o Indicador Esalq/BM&FBovespa do boi gordo oscilou entre R$ 147,38 e R$ 159,49.

“A média do indicador na parcial deste mês, até o dia 27, supera em 1,7% a de dezembro de 2015, em termos nominais. Quando considerados os efeitos da inflação, no entanto, a média atual está 4,4% abaixo da de dezembro de 2015”, diz o Cepea. Já o indicador do bezerro, que tinha atingido recorde real em abril de 2015, de R$ 1.570,00 por cabeça (valor deflacionado pelo IGP-DI de novembro de 2016), na parcial de dezembro está 6,2% menor que o do mesmo mês de 2015, em temos nominais. Em termos reais, segundo o Cepea, a média atual está 12% inferior à verificada em dezembro de 2015.

O Cepea destaca o cenário “incomum” dos preços no atacado ao longo deste ano, considerada a fraca demanda. “Os valores da carcaça casada bovina atingiram patamares nominais elevados em 2016 no atacado da Grande São Paulo, com o produto sendo negociado acima da cotação da arroba em janeiro, setembro e outubro.” No ano, a maior diferença entre os preços da arroba e da carne, de R$ 14,39, foi verificada em julho, quando o boi teve média de R$ 156,59 e a carcaça casada bovina, de R$ 142,05.

“O menor poder de compra de consumidores e o recuo das exportações naquele mês pressionaram as cotações da carcaça casada em 2,7% no período. Já para o boi gordo, a baixa oferta de animais para abate sustentou os preços da arroba na casa dos R$ 155 em praticamente todo o mês de julho/16.”Em dezembro, o preço médio da carcaça casada do boi superou em 2,9% o do mesmo mês de 2015, em termos nominais. “Considerando-se os efeitos da inflação, contudo, a média atual está 3,2% inferior na mesma comparação”, diz o Cepea.