A mulher no legislativo

Combatendo dois preconceitos, contra a cor da pele e o gênero, Nerci Guiné conquista seu espaço na política

Professora aposentada, trabalhou em escolas municipais, estaduais e em projetos com a Unicentro. Com nove irmãos e solteira por opção, ela sempre quis estudar e foi cedo para as salas de aula. Nerci Aparecida Guiné é perseguida por cargos de secretária, como na diocese e na paróquia que frequenta. Sempre que tem uma vaguinha dessas alguém aponta: “chama a Nerci”, e foi assim, com a escolha da comunidade da igreja, que ela acabou se tornando candidata a vereadora.

Com muito suor e campanha política corpo a corpo, ela conseguiu ascender para o legislativo com 1640 votos. Agora como a primeira vereadora negra, ela ergue bandeiras como o racismo e a mulher na política, além de sua vocação, que é a educação.

Mais uma vez ela caiu no cargo de secretária, desta vez das sessões da câmara. Guiné organizou por dois anos os encontros dos vereadores, enquanto planejava as mudanças legislativas que faria na cidade.

Nerci não se considera uma feminista radical, mas prioriza a valorização da mulher. Por ser uma das duas mulheres nesta gestão, ela sente mais pressão ainda, pois sabe que muitas pessoas ainda são extremamente machistas e não acreditam no potencial feminino. “É um desafio muito grande, mas a delicadeza e cuidado da mulher são importantíssimos”, diz a vereadora, que desmistifica o pensamento de alguns homens de que a mulher não tem inteligência.

O professor também é foco de valorização para Guiné, que por já ter vivido isso na pele, sabe das dificuldades e louros da profissão.

Guabiroba

Um dos projetos é o SOS Guabiroba, que prevê a preservação e revitalização da região da serra e do Guabiroba. O foco é o meio ambiente, que foi severamente maltratado com o passar dos anos. A nascente e rio do Guabiroba foram poluídos indiscriminadamente, até cadáveres já foram encontrados. Com isso a vereadora criou a lei e comanda as ações, com parceria das secretarias de Assistência Social e Meio Ambiente, além da polícia florestal e da Sanepar. É de lá que a água das torneiras sai, depois de muito tratamento é claro, mas com o devido cuidado fica muito mais fácil tratar a água. Por isso foram instaladas cercas, placas e containeres para depósito de lixo na região, além de trabalhos de conscientização.

Graças aos resultados foi possível realizar uma caminhada na região, e outra já está sendo planejada.

Obras

Outro projeto de destaque é o que prevê que obras inacabadas não podem ser inauguradas no município. É comum ver no mundo político a autopromoção com obras por fazer ou já inauguradas