Paranacidade: Estado usa tecnologia para agilizar atendimento aos municípios

Ferramenta tornou-se grande aliada para manter o trâmite de projetos de obras e compra de equipamentos pelas prefeituras

O novo momento no mundo institucional, praticamente sem o uso de papel e malotes, quase sem necessidade de descolamentos e com grande parte dos trabalhadores trabalhando em casa, já é uma realidade disponível para organização que reúnam bons profissionais de Tecnologia da Informação (TI) com o conhecimento dos processos.

No Paranacidade, órgão vinculado à secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, isso acontece graças a um Sistema de Suporte de Tomada de Decisão (DSS), desenvolvido internamente, inicialmente, para otimizar resultados.

Com a pandemia da Covid-19, a ferramenta tornou-se a grande aliada para manter o trâmite de projetos que viabilizam obras e a aquisição de serviços e equipamentos pelos municípios paranaenses. “Com o distanciamento social, o DSS se tornou fundamental.

Em apenas alguns dias, estávamos adaptados para trabalhar à distância”, disse o superintendente executivo do Paranacidade, Álvaro Cabrini.

“Hoje, ganhamos velocidade na execução das tarefas e percebemos ganhos com a economia de papel, a diminuição de viagens e a menor manutenção de automóveis”, narra Cabrini.

“Registramos, também, avanços de produtividade. Setores que estavam sobrecarregados colocaram o serviço em dia. A tecnologia abre portas para uma revolução no trabalho e proporciona economia, agilidade e maior qualidade no atendimento”, afirmou.

Sistema – O DSS do Paranacidade reúne em uma única plataforma todos os dados necessários ao encaminhamento dos processos e, principalmente, para a tomada de decisões.

O Sistema fornece, com alguns cliques, informações precisas que orientam desde o secretário do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega, até os técnicos dos Escritórios Regionais da entidade, que atendem diretamente as prefeituras.

O DSS informa, por município, sobre a capacidade de endividamento, os projetos já aprovados e os que estão ainda em execução, as etapas de cada projeto, os pareceres técnicos, a documentação já entregue e a que ainda falta. Nos projetos em execução, o estágio de implantação, as medições e os pagamentos já liberados.

Lá também estão todos os documentos necessários aos trâmites, com as devidas assinaturas digitais dos seus responsáveis, para consultas e conferências. Tudo isso, instantaneamente,

Uma terceira ferramenta, SEDU/Paranacidade Interativo, completa o arsenal tecnológico da entidade e mostra, por Município, informações sobre a infraestrutura pública e ocupação urbana que facilitam a elaboração de Políticas Públicas e na tomada de decisões sobre as prioridades de cada local. Os três sistemas têm a Internet como meio comum para a transferência de dados.

De acordo com Bruno Fugivara Greinier, a tecnologia está disponível para ser usada por qualquer Instituição. “Uma prefeitura, por exemplo, pode desenvolver seus próprios sistemas para melhorar o encaminhamento dos seus processos no atendimento à população.

A tecnologia está disponível para todos. O DSS foi desenvolvido a partir de linguagens de programação e de Banco de Dados conhecidas e gratuitas. O segredo é unir pessoas que dominem os processos com outros que tenham o conhecimento de programação”, afirmou Bruno.