Esporte  

Alfredo Gelinski: três décadas dedicado ao Batel Esporte Clube

Fotos: divulgação

Para 2018 ele se prepara para dar um tempo no futebol e quer que o novo presidente assuma os desafios da equipe e do complexo esportivo

Nesta edição especial de aniversário da cidade de Guarapuava, destacamos a simpatia, cidadania, o empreendedorismo e o espirito esportivo de Alfredo Gelinski, que com 83 anos realiza o sonho de ver o Batel Esporte Clube alçando voos maiores, no Futebol Paranaense em 2018.

Ele conta que após o clube ter ficado inativo por alguns anos, a partir de 1970, assumiu o comando da equipe na antiga Vila Batel, utilizando um terreno da propriedade da família, onde foram construídos o campo e o Estádio Waldomiro Gelinski. “Neste período tivemos algumas constâncias com mudanças de diretoria, mas nunca me ausentei na defesa do clube e dos seus interesses”, salientou Gelinski.

Como diretor anuncia que para temporada 2018, boa parte do elenco será reformulado, mantendo na equipe os atletas pratas casa, já que jogadores experientes que atuaram no time neste ano encerraram seus contratos e muitos deles estão sendo contratados por diversas equipes profissionais no país. “Ano novo, vida nova! Vamos reformular toda a estrutura de futebol do Batel, começando pela diretoria, parte técnica e novas contratações. Acredito que vamos ter um ano muito mais profícuo e certamente de muitas alegrias ao nosso torcedor”, argumentou.

 Um novo recomeço

Chamando atenção neste momento para que uma nova diretoria conduza os trabalhos do Batel, com idade avançada, Alfredo Gelinski diz que precisa dar um tempo no futebol para cuidar da sua saúde, onde nos próximos dias deverá passar por alguns procedimentos médicos. “Infelizmente tenho só um filho que homem que não simpatiza com o futebol, por isso preciso que um novo presidente assuma a responsabilidade de conduzir a equipe a um novo patamar, que o Batel continue sendo essa referência da nossa cidade e região”, reiterou.

 Contribuição social e a revelação de talentos

Quatro categorias de futebol fazem parte da estrutura do clube, que faz um trabalho social, como também revela talentos para futebol. “Infelizmente temos limitação das estruturas do clube para um trabalho mais amplo, mesmo na adversidade temos a alegria de ver muitos garotos se destacarem, sendo sondados e jogando em outras equipes profissionais. Essa certamente é a nossa maior contribuição social, onde oferecemos um espaço esportivo aos atletas e a comunidade de Guarapuava”, frisou.

Ele lembra que essa estrutura conta com profissionais habilitados que ensinam as técnicas de futebol, como também o civismo, a boa educação e contribui na formação intelectual das pessoas que ali estão envolvidas. Alfredo diz se sentir orgulhoso em ver a torcida presente em diversos jogos da equipe, com a melhor média do Estado neste ano na 3ª Divisão, com recorde de renda e público. “Temos que parabenizar esta comissão que conduziu os trabalhos neste ano, que conseguiu mobilizar a torcida e a população a participar e prestigiar os jogos do Batel. Certamente a volta da torcida ao Estádio foi a maior conquista neste ano”, enalteceu, dizendo-se otimista com a temporada do próximo ano e a vinda de novos patrocinadores dos setores empresariais, público e de serviços.

História do clube

O Esporte Clube Batel foi fundado em 17 de março 1951 por um grupo de empresários guarapuavanos. Participou em várias temporadas do campeonato paranaense, tendo como principais conquistas, a 6ª colocação nos estaduais de 1994 e 1995, anos em que participou da Série C do Brasileiro.  O time é chamado pela sua torcida de “Lobo Solitário”. Em 2017 o clube guarapuavano completou 66 anos, dos quais há mais de 30 anos conta com a presença ilustre de Alfredo Gelinski.