Economia  

O doce sabor do empreendimento

Na última edição impressa do Extra Guarapuava, apresentamos mais reportagem da série de entrevistas com empreendedores. O material como um todo não se limita à um ramo específico, mas enfoca vários negócios. E agora você confere aqui, a história do empreendedor Alan Henrique Carneiro de Quadros que transformou um hobbie em negócio.

Paula Andreoli

Há 8 meses, o Alan decidiu criar uma pequena empresa. Com ingredientes diversificados e um produto atraente ao consumidor, ele reproduz uma delícia bem conhecida pelos hermanos argentinos: o famoso alfajor.

EXTRA – Para abrir uma empresa é necessário ver oportunidades. Como isso aconteceu com seu negócio?

ALAN DE QUADROS – A oportunidade surgiu no tempo em que a economia passou a ser um problema aos empresários. Nessa mesma época eu pensei em empreender. Acreditei que meu produto seria um atrativo e, por ser de baixo risco, eu poder lucrar. Deu certo.

EXTRA – Hoje a empresa está em crescimento. Mas, no início, muitos empreendimentos passam por dificuldades. Isso aconteceu com você?

ALAN DE QUADROS – De fato. Por diversas vezes não tive como entregar alguns pedidos. Mas arrumei meios para que eu pudesse me reerguer.

EXTRA – Mas nem só de dificuldades vive uma empresa. Qual foi seu maior sucesso?

ALAN DE QUADROS – Como estamos há apenas 8 meses no mercado, ainda estamos engatinhando. Mas espero que esse sucesso venha. Não precisa ser rápido, mas da melhor forma para que a marca esteja sólida e não nos preocupemos.

EXTRA – Qual é a política de funcionários?

ALAN – Sou o funcionário dono/sócio. Mas a política sempre é a mesma, fazer tudo com carinho, e da melhor forma possível. Busco ser perfeito em cada detalhe.

EXTRA – Quais são seus planos, metas e desafios? E qual sua dica para quem pretende empreender?

ALAN – Meu sonho é que a pequena empresa seja grande um dia. A meta é alcançar Guarapuava, distritos e cidades vizinhas. A dica é que quem sonha em empreender coloque a cara pra bater. Não tenha medo. Isso que fiz.

EXTRA – Você avalia que seu ramo é atual e tem grande potencial para crescer ainda mais?

ALAN – Sim, temos que pensar assim. Eu quero ser grande um dia nesse ramo, como empresa, mas pra isso tenho ainda que batalhar.