Colunistas  

Mais sorte do que juízo

Depois de perder por 5×0 para a Copagril/Marechal Cândido Rondon, pelo Campeonato Paranaense (Chave Ouro), a equipe do Poker/Óleo Leve/Guarapuava Futsal voltou a decepcionar a torcida atuando no Joaquinzão. No último sábado, 19, o time guarapuavano levou 5×2 do São José Futsal-SP, pela Liga Nacional de Futsal (LNF). Duas derrotas seguida, por goleadas, que causaram muita desconfiança e que levaram o técnico Banana a afirmar que o ginásio Joaquim Prestes (que sempre foi um grande trunfo) não pode se transformar em um “salão de festa” dos adversários. O mau momento, no entanto, coincidiu com vários resultados que ajudaram o Guarapuava Futsal que, mesmo com os constantes tropeços, segue dependendo só de si para buscar a classificação ás quartas-de-final, tanto no estadual quanto na LNF.

Na Chave Ouro, só empate de 3×3 entre o Keima, de Ponta Grossa, e o Cascavel Futsal já era suficiente para recolocar o time guarapuavano na briga. Mas, além deste resultado, o Caramuru, de Castro, vacilou e, jogando em casa, permitiu o empate em 4×4 com o Dois Vizinhos Futsal, após estar vencendo por 4×1. Com isso, a equipe guarapuavana segue dentro o G-4 do grupo B, com 11 pontos e garante a classificação com uma vitória simples sobre o (já eliminado) Dois Vizinhos Futsal, no sudoeste do estado, nesta quarta-feira (23). Além disso, se o Cascavel vencer ou empatar com o Caramuru (também na quarta) os guarapuavanos se classificam mesmo que percam a partida em Dois Vizinhos.

Na Liga Futsal a situação não é tão cômoda como no estadual, mas ainda assim, é possível a classificação sem depender de nenhum outro resultado. Isso porque, a Alaf, que recebeu o São Paulo FC em Lajeado-RS, também tropeçou. O tricolor paulista venceu por 5×3, embolando a briga pela última vaga para as quartas de final do grupo A. Lidera a chave, a Intelli, com 20 pontos, seguida pela Krona (17) e Jaraguá (15). Do meio para baixo da classificação, é que a briga fica interessante, com Guarapuava (11 pontos), Alaf (10), São Paulo (10) e São José (8), lutando por uma vaga.

O detalhe é que São Paulo e São José têm um jogo a menos que Guarapuava e Alaf, que atuarão mais duas vezes até o final da segunda fase. Para se classificar, sem depender de outros resultados, os paranaenses precisam vencer seus dois jogos contra a Krona, em Joinville-SC, e contra o São Paulo, no Joaquinzão. Neste cenário, o Poker chegaria a 17 pontos. Alaf e São Paulo chegariam, no máximo, a 16 e o São José, mesmo alcançando 17 pontos, levaria desvantagem por sua classificação da primeira fase. Ou seja, o time de Guarapuava foi beneficiado pelos resultados de seus adversários, mas de nada adiantará esta ajud” se a própria equipe não “se ajudar”, refazendo as pazes com as vitórias. Será necessário vencer este conturbado momento psicológico e deixar de cometer os erros que estão refletindo nos resultados dentro de quadra.

Embora o placar tenha sido negativo, no último sábado,  a apresentação da equipe foi melhor do que na derrota para a Copagril. Apesar de estar longe de ter feito uma partida perfeita, a movimentação foi boa: os jogadores demonstravam que estavam empenhados em buscar a vitória. No entanto, alguns erros, que vem se repetindo desde o começo da temporada, fizeram a diferença, entre eles a falta de atenção nos 40 minutos e a falta de pontaria na hora das conclusões. Outra coisa que precisa ser definida urgentemente é quem será o goleiro titular da equipe. Mais uma vez, Marcão se mostrou empenhado, participando do jogo, tanto com defesas quando com chutes a gol, mas, sem dúvidas, sua fase é ruim. Para preservar o atleta, talvez fosse a hora de efetivar Léo Oliveira, mesmo não estando em sua forma perfeita. Esta será uma das decisões e ajustes que o técnico Banana terá que fazer rapidamente neste jogos finais da segunda fase. Pois a sorte que vem acompanhando a equipe pode “mudar de ideia” e ir embora, em caso de novos tropeços.