Osmar Dias diz não à Gleisi Hoffmann

Um dos principais nomes para assumir a vaga de vice-governador na chapa encabeçada por Gleisi Hoffmann (PT), o ex-senador Osmar Dias (PDT) anunciou no sábado (5), na página oficial do partido, que não será mais candidato a nenhum cargo eletivo. Em nota, ele afirmou que pretende permanecer como vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, em Brasília,

Dias abriu mão de se candidatar a uma vaga ao Senado, como queria o PT, para não enfrentar seu irmão, Alvaro, que é candidato à reeleição. O fato de, nestas eleições, o Paraná ter direito, apenas, a uma cadeira pesou bastante na decisão de Osmar. Enfrentar um irmão de sangue numa disputa eleitoral não seria um desrespeito somente a minha família, mas uma agressão à população que sempre me respeitou. Seria uma negação dos valores morais que herdei dos meus pais, justificou.

O fato de não disputar a próxima eleição, não significa que o pedetista estará afastado do próximo pleito. Como o próprio ex-senador falou, ele não irá se afastar de suas responsabilidades de homem público. No dia 14 de março, ao participar do encontro com o ex-presidente Lula na capital paranaense, Osmar já tinha garantido que apoiaria tanto Gleisi como a presidente Dilma Rousseff (PT). Nós não fizemos uma aliança para disputar a eleição em 2010. Fizemos uma aliança para oferecer um projeto ao Paraná e ao Brasil, discursou à época.