Política  

Prefeito de Pinhão propõe cobrança no transporte de universitários

O prefeito Odir Gotardo (PT) está com uma polêmica para solucionar nos próximos dias, em Pinhão. Ele propôs na última semana cobrar o transporte escolar dos estudantes universitários, fato que gerou indignação por parte dos acadêmicos. A proposta de Odir foi apresentada na última quarta (11), juntamente com alguns secretários municipais, aos representantes dos acadêmicos que utilizam o transporte universitário, que até 2016 era todo bancado pelo município, para expor a posição da atual administração.

Os secretários municipais apresentaram os custos aos universitários e a proposta da administração é de subsidiar 50% dos custos. De acordo com os valores apresentados pelo prefeito, por mês, cada universitário tem o custo total em torno de R$ 170,00 a R$ 180,00 reais se ele utilizar transporte os vinte e dois dias no mês. Com o subsidio de 50% da Prefeitura, cada universitário deverá pagar em torno de R$ 88,00, o que corresponde a R$ 4,00 por dia.

O fato gerou repercussão entre os estudantes, que lotaram a Câmara de Vereadores nessa segunda (16) para discutir a proposta da administração municipal. Porém, nenhum representante da Prefeitura apareceu e nova reunião foi agendada para esta terça (17), às 19h. Os acadêmicos aguardam a presença do prefeito Odir para discutir o caso.

O transporte universitário foi gratuito nas gestões do ex-prefeito José Vitorino Prestes, e também na gestão do ex-prefeito Dirceu José de Oliveira.

VEREADORES

A proposta de Odir encontra resistência também na Câmara de Vereadores, que são contra a cobrança. Os vereadores que apóiam os universitários são Alexandro Camargo e Alain Cesar de Abreu (ambos do PRP), Jerson Costa Antunes (PP), Luciano Padilha (PSC), Rodrigo Dellê Lima (PPS), e os vereadores do PSD, Letícia Martins, Sebastião Rodrigues Bastos, Luzyanna Rocha Tavares, e Osvaldeci Lima o Cunha.

RedeSul