Novamente Paraná é castigado por temporais e cidades ficam debaixo d´água

Como em anos anteriores a situação se repete e o paranaense sofre mais uma vez

Assim como em 2012 e 2013, quando as inundações afetaram diversas cidades do estado, O Paraná voltou a sofrer nos últimos dois dias com as fortes chuvas que, comumente, ocorrem nessa época do ano. As fortes precipitações, que começaram no sábado (7), afetaram diversos municípios do Estado, provocando, ao menos, 9 mortes, e desabrigando mais de 5 mil pessoas, além de interromper o fluxo em estradas, interditar rodovias e deixar cidades sem energia elétrica e água.

Ao todo, são 71 municípios atingidos, que, agora, começam a encarar a dura realidade provocada pela chuvarada. De acordo com os  números da Defesa Civil foram duas mortes em Medianeira, uma em Sulina, uma em Laranjeiras do Sul, três em Guarapuava, uma em Campina do Simão, uma em Guaraniaçu e uma em Laranjeiras do Sul. Além dos prejuízos causados por alagamentos e destelhamentos, além de falta de energia elétrica e água. O governador Beto Richa determinou, ainda, no domingo a liberação antecipada de mais de R$ 6 milhões dos recursos do VigiaSUS para 70 municípios que foram afetados pelas chuvas.

Segundo a Copel, as chuvas deixaram, ao menos, 70 mil residências sem energia. As regiões mais afetadas foram a Oeste (23 mil) e a Centro Sul (23 mil). Já a Sanepar informou que 11 municípios tiveram problemas de abastecimento de água. Segundo a empresa, caminhões-pipa foram enviados para algumas destas cidades.

Devido a situação calamitosa, por qual passa Guarapuava, o prefeito César Silvestri Filho (PPS), decretou situação de emergência na cidade. De acordo com o último balanço da Defesa Civil ((divulgado até o fechamento desta edição: 15:05),750 pessoas foram afetadas na região, 30 estão desabrigadas e quatro (4) moradores continuam desaparecidos. Além disso, o rio que invadiu o reservatório da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), e deixou toda a cidade sem água, ainda, não baixou o suficiente para que os técnicos possam trabalhar para restabelecer o abastecimento de água na cidade. Segundo a Companhia, a normalização do serviço pode demorar até dois dias.

A Defesa Civil do estado implantou em 100 municípios um plano de contingência para levantar quantas pessoas moram em encostas e margens de rios e removê-las. A estimativa é que o plano chegue aos 399 municípios do Paraná até o fim deste ano.
 

               (Água das fortes chuvas castigaram várias regiões do Estado. Guarapuava foi a cidade com maior números
                de ocorrências. Foto: Rogério Bibiano/Jornal Extra Guarapuava)

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA