Durante estação mais fria, cresce significativamente o número das chamadas doenças do frio

Casos de gripe, meningite e pneumonia tendem a aumentar durante o inverno.

De acordo com os médicos, isso acontece porque o risco de transmissão cresce devido à maior concentração de pessoas em locais fechados, o que facilita a disseminação de vírus respiratórios. O clima seco e as baixas temperaturas, também, contribuem para agravar o quadro clínico de pessoas que sofrem com asma, bronquite e rinite alérgica.

Segundo a diretora da Divisão de Vigilância Epistemiológica, Chayane Andrade Ternopolski,Guarapuava, está sendo uma cidade bastante promissora a apresentar alguns destes sintomas. Por isso, devido as variações climáticas, os cuidados devem ser redobrados. “Salientamos que durante este ano ainda não tivemos nenhum caso de infecção por H1N1 registrado, e que os atendimentos a estas sintomatologias permanecem praticamente os mesmos do ano anterior”, diz Ternopolski.

Ainda segundo a diretora, a Campanha Nacional de vacinação contra gripe iniciada em abril, fora destinada aos grupos preconizados pelo Ministério da Saúde: crianças de 06 a menores de 05 anos, sendo ampliado posteriormente para as crianças até 10 anos, idosos acima de 60 anos, gestantes puérperas, trabalhadores da área de saúde e pacientes com comorbidades (portadores de diabetes, hipertensão, obesidade, renais crônicos, imunodeprimidos, entre outros.

No inverno, também, é bastante comum as pessoas se automedicarem, o que pode mascarar sintomas de um problema mais grave. “É importante lembrar que a partir da manifestação de sintomas como, febre, mialgia, coriza, tosse e mal-estar geral a população deve procurar atendimento médico e evitar a automedicação, diminuindo assim possíveis complicações”, alerta a diretora.

Veja os principais sintomas de algumas doenças comuns no inverno:

GRIPE – febre alta, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores no corpo, cansaço e calafrios.

MENINGITE – febre alta, mal-estar geral, dor de cabeça, vômito, dificuldade para movimentar o pescoço, pequenas manchas na pele (petéquias).

PNEUMONIA – febre alta, tosse carregada, respiração dolorosa, calafrios, suor e palidez.

CONJUNTIVITE – olhos vermelhos e lacrimejantes, ardência, pálpebras inchadas, coceira e secreção ocular.

Algumas ações podem ser feitas para minimizar os problemas, como:

– Manter ambiente limpo e arejado melhorando a ventilação;

– Ingerir bastante líquido;

– Consumir alimentos ricos em vitamina C(e: laranja, limão);

– Lavar as mãos com frequência;

– Evite fumar ou conviver com fumantes em ambientes fechados.

– Ao tossir e /ou espirrar usar etiqueta da tosse, cubra a boca e o nariz com um lenço quando tossir ou espirrar.

– Coloque o lenço usado no lixo;

– Limpe as mãos depois de tossir ou espirrar. Lave-as com água e sabão e seque-as com papel toalha.

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA