Política  

Gleisi deverá apostar tudo em novo mandato para manter foro privilegiado

CRÉDITO. Brasting News

Denunciada na Operação Lava Jato por repasse de contratos fraudulentos da Petrobras, agora PGR quer que a senadora devolva R$ 4 milhões em multas para União

Os desdobramentos da Operação Lava Jato, com prisões, conclusões de processos judiciais e condenações vem preocupando a alta cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT). De acordo com o portal Brasting News, em conversas de bastidores a senadora e atual presidente do PT, Gleisi Hoffmann tem conversado com suas bases eleitorais, pedindo empenho no próximo pleito eleitoral, onde Gleisi deverá lançar campanha para tentar uma cadeira de deputada federal. Um aliado da parlamentar, que não se identificou, revelou ao portal que a senadora estaria com muito medo de perder o seu mandato e não ter mais o foro privilegiado. Com isso os processos dela poderiam cair nas mãos do juiz Sérgio Moro, em Curitiba. A Senadora foi ridicularizada recentemente ao tentar colocar a culpa da corrupção existente na Petrobras, no juiz Moro.

O MARIDO

Além da senadora Gleisi, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a condenação da parlamentar e do seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. Ela é acusada de receber R$ 1 milhão de propina em contratos fraudulentos da Petrobras. Além de sua condenação, Raquel Dodge pede que a senadora pague uma multa de R$ 4 milhões pelos danos causados aos cofres públicos. As acusações contra Gleisi ocorreram com a delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef.