Policial  

Disk-denúncia auxilia polícia na prisão de traficantes  

FOTO: Divulgação

Numa das ocorrências a PM prendeu cinco pessoas e apreendeu cocaína, maconha e drogas sintéticas

A população de Guarapuava vem contribuindo de forma significativa com os trabalhos das policias Civil e Militar. Por intermédio do disk-denúncia 190 e 181 foram possíveis as prisões de dois grupos que vinham agindo de forma organizada no centro, faculdades e bairros. Após diversas denúncias de que uma motocicleta Honda CBX na cor amarela estaria realizando entrega de drogas por toda a cidade, equipes da PM realizaram buscas e a localizaram no Centro. A abordagem ocorreu no sábado (17), na rua Padre Chagas, sendo localizado com o condutor de 25 anos, o qual já possui passagem pela polícia por tráfico de drogas, R$ 230 e 34 gramas de substância análoga a maconha. Ao ser questionado sobre a origem da droga, relatou que teria pego em locais diferentes. De posse das informações repassadas pelo abordado, foram iniciadas as buscas nas residências indicadas, localizadas nos bairros Batel, Boqueirão e Morro Alto. Após as buscas, foram apreendidos cinco celulares, R$ 3.895,00, 07 papelotes de LSD, 229 gramas de cocaína, aproximadamente nove quilos de maconha, chumbo, balança de precisão, além de utensílios utilizados para cortar e embalar as drogas. Ao todo, cinco homens receberam voz de prisão, uma mulher foi encaminhada para ser ouvida, a motocicleta foi apreendida, juntamente com a droga, o dinheiro e demais objetos, sendo todos encaminhados até a 14ª SDP para lavratura do flagrante e demais procedimentos pertinentes.

Duas mulheres presas por tráfico de drogas

Numa outra ação, policiais militares em patrulhamento pelo bairro Industrial, avistaram um usuário (26) de crack saindo de uma casa conhecida por ser um ponto de venda de drogas. No local, duas mulheres foram presas, sendo drogas, dinheiro e objetos apreendidos. Após ser realizada abordagem do indivíduo (26) em atitude suspeita, foi localizada com o mesmo uma pedra de substância análoga ao crack. Ao ser indagado sobre a origem da droga, o abordado afirmou que teria comprado de uma mulher na casa de onde recém teria saído, na rua Padre Jandir Luís Ferrari.

Com a informação, os policiais solicitaram apoio de outras equipes e realizada abordagem na referida casa. Quando da chegada da equipe no local, duas mulheres tentaram dispensar as drogas, porém foram impedidas, sendo que uma delas escondia em meio aos cabelos 10 pedras de crack, pesando aproximadamente 2 gramas, além de R$1,4 mil, dividido em várias notas, em seus bolsos. Com a outra moradora foi localizada uma pedra maior de crack, ainda não picada para venda, pesando 11 gramas. Em buscas por vários lugares na casa, foi localizado o total de R$1.003,60 em várias notas e moedas, além de sete aparelhos celulares, um relógio feminino da marca Rolex, uma frente de som sem marca, na cor preta, diversas luvas e curvas de cobre e dois rolos de papel alumínio, usados para embalar as drogas.

Ao serem questionadas, as duas moradoras (26 e 26) confirmaram o tráfico de drogas no local. Ambas receberam voz de prisão e foram encaminhadas até a 14ª SDP, juntamente com a droga, o dinheiro e demais objetos apreendidos. Como as autoras estavam na companhia de seus filhos (5 e 8), foi acionado o Conselho Tutelar para acompanhar os procedimentos.

Disk-denúncia

As denúncias via 181 tem se mostrado uma ferramenta muito eficaz no combate ao crime. Ajude a Polícia divulgando esta ferramenta tão simples e tão importante. As denúncias realizadas pelo 181 são utilizadas em todo estado do Paraná, tanto pela Polícia Civil, como pela Polícia Militar, além de outros órgão ligados a segurança pública. Podem ser denunciadas pessoas foragidas, desaparecidas, cárcere privado, comércio ilegal de drogas e armas, contrabandos, crimes ambientais, violência contra mulher, idosos e crianças, entre outros. Em casos de emergência, as ligações devem ser feitas no 190.

A comunicação falsa de crime ou de contravenção tem pena prevista no artigo 340 do Código Penal Brasileiro. Art. 340 – Provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado: Pena – detenção, de um (um) a 6 (seis) meses, ou multa.