Política

Vem Pra Rua realiza manifestação em Guarapuava neste domingo

Em 2016, milhares de guarapuavanos se juntaram pelo impeachment de Dilma (Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo)   Jonas Laskouski   "#PTnão - Para o Brasil não virar uma Venezuela". É com esta chamada que o Vem Pra Rua está convocando a população brasileira para novamente se vestir de verde e amarelo na luta contra a corrupção, bandeira mais defendida pelo movimento. Mais uma vez, praças e ruas de todo o Brasil devem ser tomadas, de forma pacífica, em apoio ao tema desta manifestação. Em Guarapuava, a concentração será na Praça Cleve, no Centro da cidade. Assim como nas manifestações anteriores que aconteceram aqui no município, um grande número de pessoas deve reafirmar o compromisso com as ideias defendidas pelo Vem Pra Rua. O horário do encontro está marcado para às 14h30.   Em 2015, foi grande o número de guarapuavanos que saíram em passeata, indignados contra os corruptos (Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo)   "O Vem Pra Rua quer um Brasil livre da corrupção, com uma política feita com ética e um Estado desinchado e eficiente, verdadeiramente democrático e justo. E não há democracia nem justiça com corrupção, incompetência, autoritarismo e impunidade", diz o manifesto na página do grupo. Surgido em 2014 como um movimento suprapartidário, democrático e plural que surgiu da organização espontânea da sociedade civil em 2014, o Vem Pra Rua foi criado por Rogerio Chequer e um grupo de amigos, indignados com a corrupção generalizada. Ao longo de sua história, suas manifestações levaram milhões de pessoas às ruas, em 13 grandes manifestações pacíficas e ordeiras, em mais de 250 cidades. Duas delas entraram para a história como as maiores manifestações da sociedade civil no Brasil. Em março de 2015, mais de 1 milhão de pessoas vão às ruas de forma pacífica em todo o Brasil contra a corrupção e a favor da Lava Jato. Também no mês de março, mas do ano seguinte (2016), foram quase 7 milhões (de acordo com o VPR) que levantaram faixas, cartazes e, principalmente, levantaram a voz, pedindo a saída da então presidente Dilma Rousseff.   COXINHAS Apelidados de "coxinhas", os manifestantes adotaram o verde e amarelo como cores oficiais, usando na sua maciça maioria, camisetas da seleção brasileira. Nesse cenário, a camisa canarinha surgiu como símbolo de uma suposta unidade nacional. Deu certo e virou símbolo de luta. Neste ano, em meio às mais tumultuadas, emblemáticas e inesperadas eleições presidenciais, até a oposição, historicamente vermelha, deixou de lado o vermelho que sempre carregou que sempre carregou e defendeu, pelo verde e amarelo. Nas redes sociais, internautas classificaram a atitude como uma tentativa de esconder o passado. Ao que tudo indica, de acordo com as pesquisas do segundo turno, a estratégia não vingou.   Registro do protesto de 2015, onde se vê a XV de Novembro tomada pelos manifestantes (Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo) No Paraná, além de Guarapuava, o movimento deve ocorrer em mais 15 cidades: Bandeirantes, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Matinhos, Maringá, Nova Aurora, Palotina, Planalto, Ponta Grossa, São João do Ivaí, Toledo e Umuarama.