Entrevista

“Vamos trabalhar incansavelmente medidas que venham combater esse ciclo de violência contra as mulheres no Paraná”, deputada Cristina Silvestri

Deputada Cristina Silvestri está entre as mulheres que mais receberam votos no Estado, nas últimas eleições.  Foto: Divulgação Por João Muniz Nesta edição apresentamos um relato dos primeiros dias de um novo mandato da deputada estadual, Cristina Silvestri (PPS). Onde ela fala da relação parlamentar com o governo de Ratinho Junior, como também com os colegas parlamentares na Alep. Dos desafios, projetos e representatividade para Guarapuava e os compromissos com lideranças dos cerca de 60 municípios, onde conquistou votos.  Jornal Extra- Pelo fato de a senhora ter obtido uma votação expressiva nos municípios, as lideranças muitas vezes demonstram alguma ansiedade em algumas demandas, de forma administrar isso? Cristina Silvestri- Semanalmente eu tenho contato com lideranças do interior, seja indo até esses municípios, seja eles vindo até meu gabinete, em Curitiba, para debatermos projetos e demandas que atendam a população. Todos sabem que no governo há prazos específicos para as coisas ocorrerem, então, não é uma questão de ansiedade, mas sim de expectativa, o que é normal. Jornal Extra- Qual a sua avaliação de votos recebidos ou não, nos municípios ao qual representou e conquistou melhorias? Cristina Silvestri- Os votos recebidos foram um reconhecimento ao meu trabalho no primeiro mandato, onde viabilizei conquistas em todas as áreas: saúde, segurança, esporte, enfim. Foram pessoas de 60 municípios que, nas últimas eleições, depositaram sua confiança no meu nome com a esperança de que meu segundo mandato seja justamente de uma continuidade dessas conquistas. Jornal Extra- Guarapuava possui obras de duplicações de acessos, Hospital Regional, Centro de Especialidades Médicas, Aeroporto, entre outras. Qual sua expectativa da conclusão destas obras neste ano pelo novo Governo? Cristina Silvestri- A expectativa é a melhor possível. O Centro de Especialidades já está em fase de instalação de equipamentos para começar a funcionar. O Hospital Regional, com as obras quase concluídas. O Aeroporto já finalizou as obras, e a prefeitura só aguarda, agora, a liberação da ANAC. As duplicações estão sendo executadas e outras são previstas. Guarapuava nunca recebeu tantos investimentos e, com certeza, vive a sua melhor fase. Defendemos o bom funcionamento do Hospital Santa Tereza por entender que a população precisa do atendimento, como também os colaboradores e médicos que dependem dos empregos. Jornal Extra- Desde o ano passado alguns parlamentares vêm anunciando recursos para o futuro Hospital Oncológico, mas depois são os da casa que administram as dificuldades, como no caso do Hospital Santa Tereza, qual sua opinião sobre isso? Cristina Silvestri- O projeto do Hospital do Câncer é colaborativo, então, a união de todos é primordial para a viabilização deste hospital, principalmente pelo caráter social deste grande empreendimento. Este trabalho conjunto está unindo diversos segmentos – do Hospital São Vicente e seus administradores, que viabilizam o projeto com uma gestão  eficiente, passando pelos doadores, representados pelo empresário Odacir Antonelli, até o histórico de conquistas iniciado pelo ex-deputado federal Cezar Silvestri, que conseguiu recursos para viabilizar a radioterapia e deu início ao que no futuro breve será o Hospital do Câncer. Sobre eventuais dificuldades da Unidade II, ainda é muito cedo para falar, já que o Hospital do Câncer ainda está em construção. Mas, em casos de outras instituições, como o Hospital Santa Tereza, eu entendo que a situação é emergencial e continuarei intermediando junto ao Governo do Estado para que seja encontrada uma solução. São famílias que dependem tanto do atendimento do hospital, quanto colaboradores e médicos que dependem do emprego para sustentar suas famílias. Jornal Extra- O que dizer para população de alguns projetos que ainda estão em fase de execução, como exemplo, a Cia Independente para Cantu, a de Pinhão, entre outras demandas? Cristina Silvestri? Estes projetos continuam sendo uma das minhas bandeiras. São demandas antigas e importantes para que a gente possa ampliar o atendimento da segurança pública em toda a Cantuquiriguaçu. Mas as mudanças de Governo atrasaram o processo mais do que a gente gostaria. Neste início de mandato, já articulei reunião com o secretário de Segurança, General Carbonell, para reforçar o pedido de elevação da 2ª Companhia da Polícia Militar de Laranjeiras do Sul à categoria de Companhia Independente. Medida que atenderia também o Pinhão, com a 2ª Cia indo para o município.   Jornal Extra- Os índices de violência contra as mulheres têm preocupado alguns setores e órgãos públicos. O que fazer para conter tantas ocorrências? Cristina Silvestri- Desde o início do meu mandato eu já tenho trabalhado medidas que ajudem a diminuir o ciclo de violência contra a mulher no Paraná. Uma dessas medidas foi o Botão do Pânico, que auxilia mulheres com medida protetiva contra seus agressores. Elas recebem um botão e, quando o agressor se aproxima, elas o acionam para que a Polícia vá imediatamente ao local. Hoje, entrei com outros três projetos para combater e conscientizar sobre o ciclo da violência. Um destes projetos implanta o Dia de Combate ao Feminicídio no Paraná, onde serão realizadas campanhas de conscientização sobre a gravidade deste crime. Um segundo projeto de minha autoria prevê a garantia de prioridade de vagas em cursos do Estado para mulheres em situação de violência, para que elas possam se capacitar, ter uma profissão, e não depender financeiramente de seus companheiros. O terceiro projeto garante prioridade de vagas nos Colégios Estaduais para filhos de mulheres vítimas de violência, para que, com seus filhos na escola, a mulher tenha tempo para trabalhar. Uma outra medida que já comecei a articular neste início de mandato foi um pedido que fiz ao governador Ratinho Júnior para a criação do Fundo de Direitos da Mulher. Um fundo financeiro que atenderá mulheres em situação de violência no Paraná.   Jornal Extra- A senhora já tem formulada uma lista de prioridades, demandas e projetos que pretende defender neste mandato? Cristina Silvestri- Eu irei trabalhar por todas as áreas, mas terei um olhar especial para a nossa saúde. Vou propor uma regionalização dessa área, por entender que é nos municípios que as coisas acontecem, que as pessoas têm necessidades, e muitas vezes acabam precisando se deslocar para Curitiba para poder realizar tratamentos. Em outras áreas, como na educação, já comecei o mandato viabilizando uma conquista importante, que é a liberação do Governo para implantação de uma unidade do Colégio Militar em Guarapuava. Uma demanda que vai ser importante para toda a população não só de Guarapuava, mas de toda a região.