Policial

Tatiane Spitzner foi jogada sem vida da sacada, aponta laudo

Tatiane Spitzner: morta por asfixia mecânica (Foto: Reprodução)   Por Jonas Laskouski   A 12ª Promotoria do Ministério Público do Paraná recebeu na tarde desta quinta (20), o laudo do exame de necropsia do Instituto Médico-Legal (IML) confirmando que Tatiane Spitzner foi morta por asfixia mecânica, causada por esganadura e com sinais de crueldade, o que indica que ela foi jogada sem vida da sacada do apartamento 403 do Edifício Golden Garden, onde morava com o então marido, Luís Felipe Manvailer. Ele está preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava e sempre negou as acusações. O ex-professor é réu no processo por feminicídio.   Manvailer agrediu a esposa violentamente, mostraram imagens de câmeras de segurança (Foto: Reprodução/Facebook)   A informação foi divulgada pelo diretor do IML, Paulino Pastre ao G1 Paraná e confirmada ao Extra Guarapuava pelo agente de perícia e chefe administrativo do IML de Guarapuava, Obadias de Souza Lima Junior.

Segundo Pastre, o estudo feito pelos médicos legistas de Guarapuava indicava, desde o início, que se tratava de uma morte violenta, utilizando-se de constrição do pescoço, o que é chamado de esganadura.

"Todo o procedimento pericial realizado confirmou unanimemente, tanto os exames complementares realizados em Curitiba como o exame necroscópico lá em Guarapuava, que a Tatiane morreu e posteriormente caiu do prédio", disse o diretor do IML.

Ainda conforme o diretor, o exame toxicológico indicou elevado grau de alcoolemia no corpo de Tatiane.

O que sugere que ela estava bastante fragilizada até para se defender no momento, afirmou.

G1 entrou em contato com a defesa de Luis Felipe Manvailer, que informou que em breve vai enviar uma posição.

A promotora Dúnia Serpa Rampazzo, que recebeu em mãos o exame do IML, deve se pronunciar a qualquer momento.