Cidades

Servidores municipais decidem por greve geral a partir do dia 30

A categoria cobra reajuste de 7% a 10% de reposição salarial
["Servidores decidiram pelo movimento de greve em assembleia geral "] (Foto: SIFUMPI)

O município de Pinhão vive um empasse entre os mais de 1,3 mil servidores municipais concursados e atual gestão. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Pinhão (SIFUMPI), convocou uma assembleia geral, para ontem, sexta-feira (24), que contou com um número expressivo de servidores. O presidente do SIFUMPI, Albino Ricardo questionou as alegações da prefeitura de não ter cumprido com o reajuste seria pelo fato do município está sem Certidão Negativa de Débitos (CND), que vem prejudicando na captação e gerenciamento de recursos. O sindicato estaria reivindicando entre 7% a 10% de reajuste salarial.

   O setor administrativo e financeiro da prefeitura de Pinhão alega dificuldades em cumprir acordos, em função de estar com os índices acima do permitido por lei na folha de pagamentos. O máximo permitido de gasto com pessoal, o chamado índice prudencial, que é de 54%.

NOMEAÇÕES DE COMISSIONADOS EM CARGOS ESTRATÉGICOS GERA INSATISFAÇÃO

 

  Albino Ricardo rebateu as alegações da atual gestão chamando atenção dos números de pessoas que foram contratadas em cargos de comissão pela prefeitura. “Isso tem causado indignação dos servidores em ver inúmeras pessoas nomeadas em cargos comissionados. Se você está acima do limite por lei, com dificuldades de organizar as finanças e na contramão nomeia pessoas que não estavam no governo, em cargos estratégicos dentro da prefeitura é inaceitável”, frisou o sindicalista. Com intuito de evitar a paralisação dos trabalhos nos departamentos públicos do município, o sindicato deverá buscar um diálogo no início da semana, numa tentativa de sensibilizar o prefeito, Odir Gotardo, para que a prefeitura apresente uma proposta de reposição salarial.