Esporte

Rafa Pato, guarapuavana que conquistou a Itália

Reportagem do Extra traz com exclusividade um pouco de suas conquistas
Rafa foi campeã italiana e eleita melhor jogadora da fase final (Foto: Reprodução/Facebook)

“Há poucos anos atrás uma loirinha franzina, cabelos lisos corria feliz atrás de uma bola, mostrando suas virtudes, atuando nos campinhos perto de sua casa e nos times de colégio, sempre chamando atenção por sua vontade e técnica. Esta pequena história ilustra a obstinação de Rafaela Dalmaz, a ‘Patinha’, de se tornar uma jogadora de futebol”.

Essa introdução é do ex-jogador Dirceu Pato – pai da hoje jogadora de futsal e multicampeã Rafa Pato, como é conhecida, nome em homenagem ao grande ídolo da sua vida.

Muitos anos se passaram, a loirinha cresceu e com ela suas habilidades. Guarapuava ficou pequena para ela. Nas lembranças do, agora, pai da Rafa, a menina cresceu disputando campeonatos e conquistando títulos na cidade, mas isso não era o suficiente, ela sonhava mais alto.

“Mesmo jovem e inexperiente fez algumas avaliações e peneiradas, nunca desistia até que seu esforço foi recompensado com a primeira convocação para a seleção brasileira Sub-17 em 2007, foi seu primeiro prêmio pela sua perseverança e efetivou-se na seleção pra disputa do mundial Sub – 17 na Nova Zelândia" lembrou Dirceu Pato.

A partir daí, a ‘Patinha’ criou asas, voou e ganhou o mundo, para a felicidade da mamãe Célia Camilo e de toda família. Primeiro foi a Suíça, ainda jogando futebol, depois foi para o futsal da Rússia, Portugal e Itália. Dois anos depois de se tornar campeã portuguesa, a guarapuavana conquistou a Itália jogando pelo modesto Salinis Futsal. Um feito e tanto, muito bem planejado. “Sempre coloquei como meta, sair da Rússia e ser campeã de Portugal, depois surgiu a Itália. Ainda tenho o sonho de ser campeã espanhola, daí vou pra China [ser campeã]”, declarou Rafa. Alguém duvida?

Dos dois títulos internacionais, o que tem maior peso, para ela, é a conquista do campeonato italiano, representando a pequena cidade de Marguerita de Savóia. “Da Itália foi o mais importante, porque eu estava em meu melhor momento. Foi a vez que eu fisicamente estava melhor bem preparada na minha carreira. Quando fui campeã portuguesa estava voltando de uma lesão de joelho, então, não estava em meu melhor, mas estava junto com a equipe e fomos campeãs”, contou entusiasmada.

Na Itália, mesmo em um time pequeno e enfrentando gigantes (como a Lazio), a menina vou. Deu seu melhor, e, além da conquista coletiva, foi eleita a melhor jogadora da fase final, ajudando a equipe, que um ano antes tinha ficado em nono lugar no campeonato, a ser campeã italiana. Reconhecimento que também veio fora de quadra.

“Ser campeã por uma cidade de 12 mil habitantes, foi muito histórico, marcante. Jogávamos contra a Lazio, contra o Montesilvano, com uma estrutura bem maior que a nossa, mas nós trabalhando humildezinha, daí a sociedade abraçou o time com a toda força e isso motivou a gente a ser campeãs.”

Título inédito para a pequena cidade, para, realmente, ficar na história. “Saímos em carro de bombeiro. Foi uma semana de festa. Quando a gente andava na rua, era reconhecida. Primeiro clube que eu vi onde o feminino é mais importante que o masculino, que está na quarta divisão”, declarou orgulhosa.

Porém, o que mais deixa a garota feliz é estar em família, berço do seu talento, herdado do pai, e de muito amor vindo da família. “Ah, eles são meu tudo. Minha família é o mais importante pra mim. Meu pai é meu ídolo, minha referência. Minha mãe sempre comigo me dando incentivo, desde menina, sempre foram minha força para chegar onde cheguei. Nunca teve essa coisa de menina não pode jogar bola. Sempre me incentivaram”, acrescentou.

É parece que onde há amor em família e amor ao esporte dá, mesmo, resultado. Dá só um confere no currículo da moça. É pra deixar qualquer marmanjo de boca aberta.


Títulos no Futsal

2018/2019 – Campeã da Itália

– Melhor jogadora dos Playoffs

2016/2017 - Campeã Portuguesa (Sport Lisboa Benfica)

– Campeã da Taça de Portugal (Sport Lisboa Benfica)

– Campeã Taça Honra AFL (Sport Lisboa Benfica)

2016 - Campeã Super Taça (Sport Lisboa Benfica)

2015/2016 - Campeã Taça de Portugal (Sport Lisboa Benfica)

2015 – Campeã Paulista (São José dos Campos)

– Campeã Jogos Abertos de São Paulo (São José dos Campos)

Prêmios individuais:

– Artilheira e melhor jogadora do campeonato paulista.

2014 – 3° lugar no campeonato Russo (MFK Tyumen)

– Vice-Campeã Copa da Russia (MFK Tyumen) /

– Campeã Paulista (São José dos Campos).

Prêmios individuais:

– Vice-artilheira do Campeonato Russo.

2013 – 3° lugar no campeonato Russo (MFK Tyumen)

– Vice-Campeã Copa da Russia (MFK Tyumen)

2012 – Campeã e artilheira dos Jogos Abertos Brasileiros (Pindamonhangaba- SP)

– Campeã dos Jogos Regionais de São Paulo (Pindamonhangaba – SP)

Prêmios individuais:

– Tênis de ouro no Campeonato Paulista categoria adulto

2010 – Campeã Jogos Abertos de São Paulo (Araraquara-SP)

– Campeã Copa Record de São Paulo (Araraquara –SP)

– Campeã da Copa Piratininga de São Paulo (Araraquara –SP)

– Campeã Jogos Regionais de São Paulo (Araraquara-SP)

– Bronze no Campeonato Paulista (Araraquara – SP)


Títulos no Futebol

2010 – Campeã Sul-americana de futebol de campo pela Seleção Brasileira Sub 20

– Disputou o Mundial de futebol pela Seleção Brasileira na Alemanha Sub 20

– Vice-Campeã da Taça Governadores de futebol em Alegrete com a Seleção Brasileira Sub 20

2008-  Artilheira do Campeonato Paranaense Adulto de futebol (Vila Fanny);

2006 – Campeã IV Taça Paraná – Sub 20 (Vila Fanny);

– Campeã IV Taça Paraná – Adulto (Vila Fanny).