Economia

Procon: O elo de intermediação entre o consumidor e o setor de vendas

Paulo Lima é formado em Administração e um dos responsáveis pela estruturação do Procon em Guarapuava   Passado a febre do Black Friday, a nossa reportagem conversou com o chefe do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), de Guarapuava, Paulo Lima, onde o mesmo falou da estruturação do órgão e dos desafios em suprir as demandas de reclamações, numa média diária de 40 consumidores. Hoje temos uma estrutura com capacidade de atendimento muito superior que no passado, onde as pessoas eram atendidas em guichês na prefeitura. O Procon conta atualmente com espaço próprio, numa parceria com governo do Estado, com três advogados nas orientações aos consumidores, servidores e veículos, destaca Paulo que é formado em Administração e atua no setor há mais de seis anos. Nestes dez anos de Black Friday no Brasil nos percebemos que ouve uma melhora nesta relação consumidor e o setor lojista. No passado era mais uma indução do consumidor, onde buscava fazê-lo por impulso. Hoje é importante as pessoas acompanharem os preços antes e no dia das promoções, reitera. Chamando atenção para os produtos que estão expostos como mostruários nas lojas e nas promoções os descontos chegam à 90%. Por serem produtos que estão sendo utilizados, muitas vezes não são considerados novos na caixa.   ORIENTADOR E CONCILIADOR Questionado sobre a visão que muitas pessoas têm do órgão quando o veem como instrumento que para multar ou acionar juridicamente as empresas ele afirma: Atualmente os lojistas de Guarapuava tem a convicção que o Procon nunca esteve direcionado na questão de atuar penalizando as empresas e sim de buscar uma conciliação entre as partes. Infelizmente em muitas cidades ainda existe está visão equivocada, mas quando eles enxergarem a função de atuação certamente vão querer ter um órgão fiscalizador e orientador na sua cidade, explanou. Um dos exemplos citados por ele é na questão da assistência técnica, onde a grande maioria das lojas que vende máquinas, eletrodomésticos e eletrônicos não tem uma unidade de apoio no município. Os celulares são os que mais geram reclamações e para isso nós temos um canal direto com as empresas de telefonia para buscar solucionar os problemas ou a troca imediata do aparelho, frisou Paulo. Ele comentou do apoio do órgão para consumidores de diversos municípios das regiões Centro-Sul e Oeste. Que também buscam apoio para soluções e intermediações junto ao comércio guarapuavano.  Os consumidores da região tem reclamado das vendas na porta de casa, onde muitas vezes são ludibriadas e assinam, muitas vezes, sem o ler o contrato, quando pensam que estão comprando um colchão ou purificador de água, por exemplo, em até 12 prestações, descobrem depois que compraram algo em até 36 meses descontado na folha de pagamentos. As pessoas precisam evitar adquirir produtos desta forma, alertou o chefe do Procon.  
Atualmente tem gente indo vender até empréstimos consignados nas casas, onde levam até impressora para as pessoas assinarem os contratos. São ludibriadas na venda de todo tipo de produto e somente na hora de ir ao banco vão saber realmente quanto esse produto custou.
  PLATAFORMAS DIGITAIS O Procon-PR criou recentemente plataformas digitais para que o consumidor tenha melhor acesso as informações e reclamações, ou para renegociações de dívidas. Através desta plataforma o consumidor não precisa vir até o órgão para renegociar suas dívidas, pela plataforma ele faz essa negociação com a empresa. Neste período as negociações estão acontecendo com bancos e instituições financeiras, explicou ele. Geralmente esses mutirões de negociações acontecem nos meses de maio e dezembro. Os interessados podem acessar: www.consumidor.gov.br   PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR O Procon-PR tem personalidade jurídica de direito público, com autonomia técnica, administrativa e financeira. Com a missão principal equilibrar e harmonizar as relações entre consumidores e fornecedores. Tendo por objetivo elaborar e executar a política de proteção e defesa dos consumidores. Para tanto conta com o apoio de um grupo técnico multidisciplinar que desenvolve atividades nas mais diversas áreas de atuação, tais como: Educação para o consumo; recebimento e processamento de reclamações administrativas, individuais e coletivas, contra fornecedores de bens ou serviços; orientação aos consumidores e fornecedores acerca de seus direitos e obrigações nas relações de consumo; fiscalização do mercado consumidor para fazer cumprir as determinações da legislação de defesa do consumidor; acompanhamento e propositura de ações judiciais coletivas; estudos e acompanhamento de legislação nacional e internacional, bem como de decisões judiciais referentes aos direitos do consumidor; pesquisas qualitativas e quantitativas na área de defesa do consumidor; suporte técnico para a implantação de Procons Municipais Conveniados; intercâmbio técnico com entidades oficiais, organizações privadas, e outros órgãos envolvidos com a defesa do consumidor, inclusive internacionais; disponibilização de uma Ouvidoria para o recebimento, encaminhamento de críticas, sugestões ou elogios feitos pelos cidadão quanto aos serviços prestados pela Fundação Procon, com o objetivo de melhoria continua desses serviços. [caption id="attachment_16671" align="alignnone" width="700"] Uma unidade do Procon itinerante tem levado orientações e atendimento para população nos bairros. Na foto, na feira do Produtor Rural, na Igreja Divino Espírito Santo, Vila Bela[/caption]   GUARAPUAVANO DE CORAÇÃO Como guarapuavano de coração e naturalidade, quero prestar está homenagem a todos que aqui investem e acreditam no potencial deste município. Ao prefeito Cesar Silvestri Filho, um visionário e inovador que sempre apoiou nosso trabalho. Que Guarapuava continue sendo essa cidade iluminada e de oportunidades para pessoas. Que todos tenham um Natal e Ano Novo de renovação de forças para os desafios que temos pela frente, Paulo Lima.