Economia

Pesquisa aponta que endividamento das famílias paranaenses continua estável

Os dados mostram que 90,9% possuíam algum tipo de dívida em setembro, e que o percentual permanece nesse patamar desde junho
O cartão de crédito foi o principal tipo de dívida apontado, com 75,0% (Foto: Divulgação)

O endividamento da famílias do Paraná se mantém estável, como mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR).

Os dados mostram que 90,9% dos paranaenses possuíam algum tipo de dívida em setembro, e que percentual permanece nesse patamar desde junho.

No entanto, a parcela de endividados com contas em atraso vem aumentando, gradativamente, no último quadrimestre cresceu 2,32 pontos percentuais chegando a 30,8% em setembro, maior percentual deste ano. As famílias que não terão condições de pagar seus débitos representavam 11,0% no mês passado.

A inadimplência, que é o atraso no pagamento superior a 90 dias, atingia 46,1% dos paranaenses com contas em atraso.

Tipo de dívida – O cartão de crédito foi o principal tipo de dívida apontado, com 75,0%, seguido pelo financiamento imobiliário (8,4%) e pelo financiamento de veículo (8,0%).

Faixa de renda – Em setembro, as famílias com renda superior a dez salários mínimos estavam um pouco mais endividadas (93,5%) do que as famílias com renda inferior a dez salários mínimos (90,3%). Entre as classes A e B, 35,1% dos consumidores admitiram estar muito endividados. Já entre as classes C, D e E, esse percentual foi de 27,8%.

Por outro lado, o atraso no pagamento das contas mostrou-se mais frequente entre as famílias de menor renda, com 33,2%, ante 19,0% entre as que ganham mais.