Saúde

Paraná pode ficar sem alguns medicamentos no mês de maio

(Foto: Foto: Getty Images)

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA), que recebe do Ministério da Saúde 112 medicamentos, adquiridos de forma centralizada, informa que, para este segundo trimestre de 2019, o Ministério não cumpriu com a entrega de vários desses medicamentos. Assim sendo, diz a SESA, para o mês de maio existe o risco de desabastecimento de 19 medicamentos. A secretaria informa também que 12 medicamentos poderiam faltar já no início do mês e outros 7 têm estoque para 15 ou 30 dias.

No caso de 15 medicamentos, há alternativa terapêutica, prevista nos protocolos clínicos do Ministério da Saúde, e o paciente está sendo orientado a buscar junto ao seu médico a possibilidade de substituição do remédio. Para a SESA, a situação mais complicada é com relação a 4 medicamentos – everolimo e tacrolimo (imunossupressão nos transplantes), imunoglobulina humana (síndrome de Guillain Barré) e entecavir (hepatite B). Para estes, a SESA já iniciou processo de compra em caráter emergencial para suprir a demanda, uma vez que não há substituto terapêutico. O custo previsto, de acordo com a secretaria, para estas aquisições é de R$ 5.069.565,00.

A SESA ressalta que tem oficiado o Ministério da Saúde, alertando para os riscos do desabastecimento, e que levou a situação para conhecimento da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) do Paraná e ao CONASS – Conselho Nacional de Secretários de Saúde, uma vez que a situação afeta todos os estados.