Meio Ambiente

Nova célula está sendo construída no aterro sanitário em Guarapuava

A manutenção do local garante o cumprimento da lei que exige que todos os municípios possuam um ponto de destinação correta do lixo
Uma nova célula do aterro sanitário está em andamento, as obras devem ser concluídas em um mês (Foto: Secom)

De acordo com o engenheiro ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, Cleverson Luiz Dias Mayer, sem aterro sanitário, o resíduo estaria em contato com o solo, causando contaminação do lençol freático e, consequentemente, da água.

“É importante que as pessoas se conscientizem que elas são responsáveis pelo lixo que geram e que temos um custo para dar a destinação correta para ele”, ressaltou Cleverson.

A cobrança da taxa de lixo em Guarapuava é destinada aos custos do processo de coleta, destinação e manutenção do aterro sanitário. Diariamente, são recolhidas 100 toneladas de lixo doméstico na cidade, que em breve, serão depositados na nova célula.