Esporte

"Nós vamos ser campeões!"

O empresário carioca Bernardo Feler assumiu a presidência da Associação Atlética Batel no segundo semestre de 2018. Quando chegou ao time de Guarapuava, a equipe profissional do Batel já não tinha mais jogos para disputar após ser desclassificada na segunda fase da Divisão de Acesso Paranaense. Apenas o time sub-19 do rubro-negro disputava o Campeonato Paranaense. No entanto, mesmo com o calendário sem partidas, os desafios de Bernardo foram outros. As contas do Batel estavam atrasadas. Desde salários de atletas, alguns que nem permaneceriam na equipe para a temporada seguinte, até outras pendências básicas. Quando cheguei aqui, no ano passado, o time devia salários de jogadores, taxas da Federação Paranaense de Futebol (FPF), que era algo que poderia impedir o Batel de disputar campeonatos nesse ano se não fossem quitadas, até contas de luz e água, disse Bernardo em coletiva de imprensa na semana passada, no shopping Maria Antônia. O pagamento desses débitos foi o primeiro ato do empresário na presidência do Batel. Mesmo com esses problemas escancarados logo de cara, não foram as contas em atraso ou a falta de partidas a curto prazo que impediram o sonho de Bernardo Feler de se tornar realidade. Eu, apesar de quase 70 anos (risos), sempre tive um sonho, o de ser dono de um time de futebol. Acho que independente da idade, acredito que as pessoas devem sempre ter ambição de criança, de fazer nossos sonhos se tornarem realidade. Mas por que o Batel? Esse deve ter sido um dos questionamentos dos guarapuavanos torcedores do rubro-negro e que acompanharam o empresário do Rio de Janeiro desde a sua chegada à Guarapuava. Quando cheguei aqui (em Guarapuava), vi uma cidade em pleno desenvolvimento, em crescimento. Até me espantei quando me falavam que o futebol de Guarapuava, na verdade o esporte no geral, não era competitivo. Foi aí que quis conhecer o Batel mais de perto. E cara, quando conheci o clube, o estádio (Waldomiro Gelinski), as pessoas que já trabalhavam lá, tive certeza que daria para fazer um grande trabalho, conta Bernardo. O empresário citou como exemplo cidades menores do que Guarapuava, até mesmo do estado do Rio de Janeiro, que têm obtido sucesso no esporte e até trazendo um bom retorno financeiro aos municípios justamente por conta do futebol. O esporte agrega em tudo em qualquer lugar do mundo. Por ser empresário, eu viajei e ainda viajo muito, e todos os lugares que conheci onde o futebol estava dando certo a cidade também ganhava com isso. É uma questão onde todo mundo ganha: o município, as pessoas que vivem na cidade e, é claro, o time, reforça Bernardo. O sonho de Bernardo Feler entra na fase mais decisiva em 2019, quando o Batel disputará, em menos de um mês, a Divisão de Acesso Paranaense, competição que dá vaga aos dois times finalistas para a 1ª divisão do Campeonato Paranaense de 2020. E, segundo Bernardo, esse é outro sonho que irá se realizar. Desde o começo do ano, quando comecei a montar a equipe de diretores e comissão técnica, eu falo pra todo mundo: nós vamos ser campeões! E ainda digo e repito: nós vamos ser campeões! Um time campeão não se faz com os melhores jogadores do mundo, mas sim com planejamento a longo prazo, coisa que o Batel não tinha a muito tempo pelo que me falaram quando cheguei aqui, com determinação e ambição. E nós estamos fazendo tudo isso e mais um pouco. E, por isso, eu repito: nós vamos ser campeões!, conclui Bernardo, que não conteve a emoção após receber um presente da torcida organizada do Batel. O sonho de Bernardo e do Batel começa para valer no dia 07 de abril, quando o rubro-negro estreia na Divisão de Acesso 2019 contra o Paranavaí, fora de casa. Antes, o time de Guarapuava deve disputar dois amistosos: o primeiro será já no próximo domingo (24) contra a equipe do Prudentópolis, também como visitante. O outro adversário ainda não está definido.