Cidades

Mesmo proibidos, canudinhos de plástico continuam sendo distribuídos em Guarapuava

Restaurantes, bares, lanchonetes, padarias e outros estabelecimentos tinham até 06 de agosto para a adequação
Em vários locais da cidade é possível encontrar a presença do material proibido (Foto: Luca Soares)

Comerciantes de Guarapuava continuam insistindo no erro ao fornecerem canudinho de plástico para seus clientes. Isso porque a lei municipal nº 2944/2019, sancionada em 03 de junho, pelo prefeito Cesar Silvestri Filho, que já está em vigor, extrapolou seu limite de adequação.

A partir de então, mais do que nunca, a determinação permite apenas o fornecimento de exemplares feitos de papel reciclável, material comestível ou biodegradável que devem ser embalados individualmente em envelopes fechados, feitos do mesmo material.

Segundo a prefeitura, com a vigência, restaurantes, bares, lanchonetes, padarias e outros estabelecimentos tinham até 06 de agosto para a adequação. Ou seja, os meses de julho e agosto foram para conscientização e adequação. O que, para muitos, não houve, como nossa reportagem pode constatar.

Ainda segundo a prefeitura, com o fim do prazo, averiguações começaram a ser feitas para informar aos comerciantes sobre a proibição. Em um segundo momento, se necessário, diz a prefeitura que fará a autuação das entidades e empresas que não estão atendendo as exigências.

Os comerciantes flagrados distribuindo canudinhos plásticos após a data prevista, alerta a prefeitura, foram advertidos, em visitas dos fiscais, sobre a irregularidade. Se houver uma segunda infração, eles receberão multa de R$ 560, que pode aumentar para R$1.200 em caso de reincidência.

Após a terceira autuação, a lei prevê o fechamento administrativo do estabelecimento. Vale lembrar que, em qualquer caso, será garantida a ampla defesa aos acusados, antes da imposição definitiva da multa.