Cidadania

Guarapuava participará de mobilização estadual contra o feminicídio

O evento é organizado pela Procuradoria Especial da Mulher presidida por Cristina Silvestri em parceria com secretarias municipais e instituições de Guarapuava
A ação é uma lembrança ao dia da morte da advogada guarapuavana Tatiane Spitzner (Foto: Reprodução/Internet)

Na próxima segunda-feira (22), data instituída como Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, uma mobilização pela vida das mulheres ocorrerá em Guarapuava e em outras 11 cidades do Paraná.

A ação é uma lembrança ao dia da morte da advogada guarapuavana, Tatiane Spitzner, que repercutiu no Brasil e no mundo em 2018, provocando intensos debates sobre feminicídio e a luta pela vida das mulheres.


As ações do Dia Estadual de Combate ao Feminicídio terão início às 9h, na Praça Cleve, e contarão com divulgação dos serviços de atendimento às mulheres em situação de violência.
 

A Lei 19.873/2019 que tornou 22 de julho o Dia D do combate ao feminicídio, foi uma proposta da deputada estadual Cristina Silvestri. "Queremos garantir um dia de luta em que a sociedade e as instâncias públicas possam se reunir em torno de ações e de conferências de políticas de combate ao feminicídio", afirmou a deputada.

Confira a programação:

Manhã:

Horário: 9h às 12h

Local: XV de Novembro, em frente à Praça 9 de Dezembro

Panfletagem e divulgação dos serviços de atendimento às mulheres em situação de violência;

Ação "Nenhuma a menos – o retrato do feminicídio no Paraná";

Noite:

Horário: 18h30 às 22h

Local: Teatro Municipal de Guarapuava

18h30 – Abertura da exposição "Nem tão doce lar – uma vida sem violência: direito de mulheres e de homens"

19h30 – Apresentação cultural

19h40 – Lançamento do Projeto da OAB – Guarapuava "Tatiane Spitzner"

20h – Palestra "O ciclo da violência doméstica e a importância da denúncia", com a jornalista Giulianne Kuiava

20h30 – Talk Show "Feminicídio: a ponta do iceberg"

Mediadora: Priscila Schran de Lima, secretária municipal de Políticas para as Mulheres.

Expositores: Camila Grande da Silva, coordenadora e psicóloga do CRAM (Centro de Referência e Atendimento às Mulheres em situação de violência); Dra. Ana Hass, delegada da Delegacia da Mulher; Sandra Lia, advogada e coordenadora da Cevige (Comissão de Estudos sobre Violência de Gênero); e Eduardo Bishof, professor do IFPR (Instituto Federal do Paraná), campus Pitanga.

21h30 – Apresentação cultural