Colunistas

Exames Toxicológicos está sendo fraudado em Guarapuava

COLUNA TANAKA (Foto: Divulgação)

Publicidade apelativa I

   Centenas para não dizer milhares de pessoas lotaram as dependências do Ginásio Joaquim Prestes, em Guarapuava na disputa de 40 vagas, para trabalhar numa rede de Materiais de Construção que deverá se instalar na cidade. Imagina se essa moda pega, outro dia o sêo Irineu contratou 28 pessoas numa empresa da área de metalúrgica, sem precisar fazer todo esse barulho apelativo. Até porque se queriam mídia sem gastar era só mandar um relise aos meios de comunicações, como fizeram. 

Publicidade apelativa II

   Dizer o que desses empresários que usam tática de tortura psicológica. Outro dia uma rede de supermercado teria feito a contratação de 400 homens e nenhuma mulher. Agora surge esse querendo ganhar destaque na mídia sem precisar gastar. Até podemos concordar como tática de notoriedade e parabéns pela estratégica de marketing. Agora usar as pessoas, algumas há muito tempo desempregadas, desiludidas é um absurdo! O Ministério do Trabalho e MP deveriam acompanhar de perto esse tipo de estratégica e ver com outros olhos, o do cidadão, numa questão humanitária. Tá dito!

Sem representatividade

   É lamentável que os trabalhadores deste setor não tenham uma entidade representativa para lutar pelos seus direitos, um piso salarial mais decente. Sem falar que esse povo trabalhador arca com falhas no sistema, um exemplo é o derrame de notas falsas que chegam no comércio todos os dias, que acaba sobrando para a pessoa que está no atendimento o prejuízo pela entrada dessas notas falsas, descontados na folha de pagamento. Como é bonito nos discursos, ver empresários elogiando presidente sindical, que se apresenta como representante dessa classe trabalhadora.

Virou feirão

  Outro setor que está fora de sintonia com a população é tal do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Nos últimos meses se aproveitaram da mudança de comando de governo e empurraram goela a baixo do povo brasileiro as placas do Mercosul, para que serve, ninguém sabe explicar. Agora são as cobranças de “Exames Toxicológicos”. Em Guarapuava os preços variam entre R$ 180,00 a R$ 250,00, para as pessoas que não se preocupam em ceder uma ponta de cabelo e querem fazer na forma legal, moral e ético. Agora para os motoristas que tem algumas misturinhas no organismo o valor fica mais salgado, que chegam a custar até R$ 1.000,00, sem precisar entregar uma amostra de cabelo ou de sangue. Vocês nem imaginam com os resultados são mais rápidos, quando se paga um extra. 

Trabalho de resultado

   O Japonês acompanhou outro dia na boca maldita alguns comentários sobre ações da secretaria de Meio Ambiente de Guarapuava, que no último ano reduziu de forma expressiva a quantidade de animais soltos nas ruas do centro e bairros. Realmente no passado não muito distante nas redes sociais apareciam reclamações e fotos de cachorros soltos, alguns agressivos, um problema crônico social, que diminui drasticamente.

Fale com o Tanaka: [email protected]