Sem categoria

Ecossistema de tecnologias voltado para o agronegócio é lançado durante o Future Day em Guarapuava

O que estamos colocando nas mãos do produtor rural não é uma enxada e sim ferramentas tecnológicas para produzir mais, Fábio Teixeira FOTOS: João Muniz/Anderson Zacalusni Nesta semana o núcleo empresarial e acadêmicos de Guarapuava deu um importante passo na implantação de soluções inovadoras dentro de um ecossistema, que vai possibilitar a criação de laboratórios de startups, transformando a cidade num celeiro de inovação.  Num olhar para o futuro, o evento denominado Future Day, realizado nas dependências administrativa na Cidades dos Lagos reuniu representantes do município, de faculdades, universidades e do governo do Estado. Em meio ao lançamento simbólico da pedra fundamental no Future Day, os participantes já puderam ver as máquinas trabalhando na construção do prédio que será a sede da inovação guarapuavana. Segundo o diretor do Laboratório de Ideias (LAB), Andy Troc, esse espaço vai conectar estudantes, pesquisadores, universidades e empresários que trabalharão em projetos inteligentes para ampliar o desenvolvimento econômico local e regional. "Vamos ter toda estrutura que existe dentro de um Centro de Inovação e Tecnologia para empresas de tecnologia se instalarem, área para eventos e inúmeros projetos de inovação onde as universidades podem participar. Será uma conexão com todas as instituições que fazem parte do ecossistema", explicou. Responsável por interligar todo o ecossistema de inovação em Guarapuava e região, a iniciativa aposta no talento, boas ideias e uso da tecnologia inteligente como forma de criar soluções de transformação social e econômica. O espaço físico, aliado às ações de fomento e expansão, integra o projeto de construção de um ambiente favorável à inovação e ao crescimento guarapuavano. " A maior expectativa que nós criamos quando decidimos promover esse evento é o processo de sensibilização, é o envolvimento das pessoas para passarem a acreditar e perceber, de forma mais palpável, que inovação e tecnologia são assuntos que nos dizem respeito, sim. Guarapuava está preparada e quer entrar para valer nesse circuito e nós temos muitos talentos com capacidade de produzir inovação, pesquisa, ciência e tecnologia", destacou o prefeito Cesar Silvestri Filho. O gestor destacou que o momento histórico vivido por Guarapuava é o resultado de uma parceria entre a iniciativa privada e o poder público, que atuam na projeção do Celeiro de Inovação desde 2016, tendo como referências alguns casos de sucesso de Florianópolis em Santa Catarina. O EUA é o país onde mais se aplica tecnologias e cada ano são milhares de novos postos de trabalho, derrubando a tese que isso tira empregos. As novas tecnologias não são de um governo e sim para trazer benefícios a população e empreendedores.    TECNOLOGIA UNIVERSAL   Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Sandro Abdanur, um dos pontos fortes desta nova realidade vivida por Guarapuava é a aposta no incentivo e na formação de mentes inovadoras na região Central do Paraná. "Muitas pessoas buscam outros grandes centros pela falta de oportunidade, porque não se falava de inovação, não tinha um ecossistema pronto como temos hoje. Não estamos mais no zero. Podemos também ser um centro de formação dessa capacidade de reter os jovens, discutir sobre isso e formar aqui um celeiro de inovação", comemorou o secretário.   Durante o lançamento, diversos estudantes, pesquisadores, empresários e parceiros prestigiaram um meetup (pessoas que compartilham os seus interesses), com Fábio Teixeira, brasileiro que é destaque no setor aeroespacial e agrícola. Ele falou sobre sua participação em um projeto da, a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), e a fundação da HyperCubers, startup incubada no Vale do Silício (Califórnia – EUA), cuja proposta é revolucionar o agronegócio, por meio de uma constelação de nano satélites e inteligência artificial. Nossa maior missão é educar os indivíduos para novas tecnologias. Queremos que Guarapuava seja a mais tecnológica do Paraná e do país. Com essas parcerias num curto espaço de tempo vamos apontar nosso satélite para esta região, procurando entender e resolver alguns problemas na produção de grãos, reiterou Fabio. De acordo com ele até 2050 a estimativa populacional é de chegar a 10 bilhões de pessoas no mundo e produzir comida atender toda essa demanda está entre os maiores desafios. O que vamos colocar nas mãos do agricultor não será uma enxada e sim ferramentas tecnológicas que possibilite produzir cada mais, com qualidade e rentabilidade, observou. Segundo ele a novidade entre as novas tecnologias está sendo a produção de alimentos à base de células, com sabor de determinado alimento, como carnes e bebidas. Até algum tempo certas tecnologias eram de domínio de grandes potências, governos e militares, atualmente essas tecnologias são universais ao alcance de todos, com preços e condições, frisou. Lembrando que o satélite produzido pela HyperCubers tem capacidade de tirar milhares de fotos de forma instantânea de uma plantação, apontando grau de umidade, quantidade pragas e falhas na produção agrícola. O projeto guarapuavano promete ser moderno e sustentável que reunirá todas as soluções tecnológicas desenvolvidas na cidade. Selando o dia histórico, todos os parceiros assinaram simbolicamente a pedra fundamental, marcando o início da obra e firmando o compromisso com a formação de uma Guarapuava inovadora. Também participaram do lançamento o vice-prefeito de Guarapuava, Itacir Vezzaro; presidente da Celepar, Allan Costa; superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Nelson Bona; vereadores; secretários municipais, representantes de instituições de ensino, chefes de regionais; representantes de diversas entidades e parceiros do Centro de Inovação. Fonte: Secom