Educação

Cresce número de mulheres atuando na construção civil na região de Guarapuava

No último ano, o número de Engenheiras Civis cadastradas no Crea-PR aumentou 25% na regional de Guarapuava, que compreende também as cidades de Irati, Laranjeiras do Sul e União da Vitória. (Foto: reprodução) De acordo com dados do Conselho Regional de Engenharia do Paraná (CREA-PR), o número de Engenheiras Civis cadastradas na região de Guarapuava aumentou de 149 para 197 de 2017 para 2018, totalizando uma porcentagem positiva de 25%.   A Inspetora do Crea-PR Engenheira Civil Sandra Cristina Glinski aponta que a facilidade de acesso às universidades e faculdades da região possibilita a inserção cada vez maior de mulheres nas Engenharias. Na Engenharia as mulheres da região conseguem tanto trabalhar em construtoras, como montar seu próprio escritório, ou conquistar uma vaga por concurso. A personalidade detalhista feminina faz com que elas sejam eficientes tanto na elaboração do projeto quanto na execução das obras, avalia a Inspetora.   Para a Engenheira Civil do Departamento de Obras da Secretaria de Viação, Obras e Serviços Urbanos, Eliane Aparecida Bischof Keche, as mulheres de fato estão conseguindo mais espaço nas Engenharias, mas para chegar até este cenário, inúmeros obstáculos foram superados. Há 34 anos, quando me formei pela Universidade Federal do Paraná, fiz parte de uma turma de 220 alunos em que havia apenas seis mulheres. Logo depois de formada, enviei currículos para empresas que me rejeitaram sem nenhuma avaliação, apenas ‘por ser mulher’. Hoje, a eficiência e capacidade das mulheres são notórias, por isso elas estão cada vez mais ocupando espaço no mercado. Mas, vale ressaltar que ainda temos muito para avançar, acabando com o assédio profissional e atingindo isonomias salariais, declara.   Além de atuarem como responsáveis técnicas no planejamento e execução de obras, em Guarapuava as mulheres também estão ganhando espaço na construção civil para atuar como pedreiras, encanadoras, eletricistas, azulejistas e pintoras. Isso porque, desde 2014, o Governo Federal liberou recurso para que a Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres de Guarapuava promovesse cursos profissionalizantes para as mulheres nestas cinco áreas de atuação.   Em média, 200 mulheres já foram formadas nestes cursos para atender à mão de obra do mercado local. E, desde 2017, a Lei Municipal nº 2649 prevê a reserva de pelo menos 10% das vagas para mulheres nas empresas prestadoras de serviços na área da construção civil em obras contratadas pelo município. A Lei surgiu para estimular o mercado a ser receptivo à mão de obra feminina na construção civil. É uma contratação em caráter de aprendizagem, porque assim elas conseguem ter a experiência da obra, para depois pleitearem uma vaga no mercado privado, afirma a Secretária de Políticas Públicas para Mulheres de Guarapuava, Priscila Schran de Lima.   Para a Secretária, esta é uma maneira de estimular a inserção das mulheres no mercado de trabalho e também promover a profissionalização do setor da construção civil na região. Os contratantes dizem que o maior diferencial das mulheres é ter o curso profissionalizante porque, na maioria das vezes, os trabalhadores da construção civil aprendem na prática, sem saber se aquela é a melhor técnica. As mulheres formadas saem com o conhecimento de como economizar e otimizar o material de trabalho e o tempo, conta.   Conforme a Engenheira Civil do Departamento de Obras, o balanço de quase um ano e meio em que a lei municipal está em vigor é positivo. Já temos um saldo bastante favorável com a lei, pois as obras em que tivemos mulheres executando trabalhos de pintura e auxiliando na parte elétrica resultaram em serviços de ótima qualidade, em virtude do nível de detalhamento que é inerente às mulheres. Espero que a criação desta lei municipal exemplar se estenda a toda a iniciativa privada e aos demais municípios do Brasil, declara Eliane.         FACULDADE GUARAPUAVA Curso de Arquitetura da FG obteve nota máxima na avaliação do MEC     Uma das mais conceituadas instituições de ensino superior do Paraná, a Faculdade Guarapuava acaba de conquistar conceito 5, de avaliação pelo Ministério de Educação e Cultura (MEC), no curso de Arquitetura e Urbanismo. Dando a oportunidade para que centenas de acadêmicos de Guarapuava, do Estado e diversas partes do país realizem o sonho de se formar. De acordo com o diretor de Marketing, o professor Marcelo Abdanur, os mais novos profissionais da área saem da faculdade com a certeza de terem feito a escolha certa. Nos últimos cinco anos, foram feitos investimentos em infraestrutura e experiências que contribuíram para uma formação de qualidade. Além de contar com laboratórios de informática com softwares modernos, de estruturas e materiais de apoio variados; as salas são amplas e confortáveis e os projetos desenvolvidos promovem a integração entre a teoria e a prática, entre acadêmicos e a comunidade, explica o professor.     Exemplo disso é o concurso para a revitalização de uma praça no distrito de Entre Rios. O projeto vencedor foi idealizado por um casal de acadêmicos da FG. Assim como esse, diversos concursos são realizados para incentivar a criatividade e a inserção dos alunos na realidade local. Mas não são apenas essas histórias que os formandos têm para contar sobre as experiências vividas aqui. As viagens realizadas com os professores da FG agregaram conhecimentos e momentos únicos à vida de cada um. Entre os diversos destinos estão cidades históricas de Minas Gerais e a Capital Federal, frisou. PIONEIRO Falando à reportagem o diretor geral, Leonardo Mattos Leão destaca que a faculdade foi a 1ª instituição do Centro-Sul a lançar a implantar o curso Arquitetura e Urbanismo para Guarapuava e região, enaltecendo a 1ª turma, que está orgulhosa pelo trabalho e projetos desenvolvidos até aqui. No final de 2018, o curso foi avaliado pelo MEC que concedeu nota 5, ou seja, a nota máxima do MEC. Resultado que reflete o empenho de toda equipe pedagógica e também os investimentos realizados para ampliar a ótima estrutura da FG, observa Leonardo. De acordo com o coordenador do curso de Arquitetura, Rafael Sindelar Barczak, o curso é bem prático, pois conta com laboratórios de ponta. Além disso, os professores trabalham na área. Dessa forma eles passam conhecimentos que eles realmente vão precisar para serem excelentes profissionais, enalteceu.   Além disso, o coordenador salienta que o curso de Engenharia Civil, iniciado em 2011, é o único da região credenciado pelo Conselho Regional de Engenharia (Crea). Segundo ele uma nova fase se inicia com o funcionamento do escritório modelo de Arquitetura. O espaço localizado no centro da cidade reproduz a realidade do dia-a-dia profissional e vai propiciar aos acadêmicos mais atividades práticas, aprimorando o desenvolvimento de habilidades. É essa estrutura de excelência que a Faculdade Guarapuava oferece a quem pretende se tornar um Arquiteto Urbanista com um grande diferencial no mercado. Outras novidades apresentadas para este ano, serão a disponibilização em 20% dos cursos no método em EAD (educação à distância), e a 'Bolsa Total' permitindo que a instituição ofereça financiamentos, dentro do programa, que dá descontos nas mensalidades, podendo ser de 30%, 40% e até 50%.   CURSOS DE GRADUAÇÃO Agronomia, Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Contábeis, Direito, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia de Controle e Automação e Medicina Veterinária.