Cidadania

Projeto Amor e Atitude atende moradores de rua e famílias em situação de vulnerabilidade social

"Todas as pessoas que são solidárias, generosas de coração e amam o próximo, podem no ajudar". Márcio Oliveira e Karina da Luz Schiligoski (Foto: Arquivo Pessoal)

O projeto Amor e Atitude surgiu em 2017, idealizado pelo casal Márcio Oliveira e Karina da Luz Schiligoski, com objetivo de dar apoio e assistência às famílias que estão em situação de vulnerabilidade social na cidade de Guarapuava.

Em entrevista exclusiva ao Jornal Extra Guarapuava, Karina e Fábio, contaram um pouco de como começou e como funciona o projeto que também conta com uma equipe de cerca de 70 voluntários, que atuam em algumas frentes, entre elas a entrega de marmitex, cestas básicas, agasalhos, como também as campanhas de arrecadações de móveis. “Olha, são diversas atividades de rua, como também em instituições de caridade, como a Casa Lar, que atende crianças e a Instituição Serviço de Obras Sociais Airton Haenisch, onde tivemos recentemente uma tarde muito agradável com as pessoas que lá estão amparadas”, conta Karina Schiligoski.

De acordo com ela, a maior demanda é com doações de alimentos para pessoas em situação de rua. Eles relataram que conseguiram doações para a construção de uma casa na Vila Bela, o projeto está em fase de expansão e muitas pessoas estão ajudando, o que os deixa muito felizes.

O casal conta que outro projeto é o de alfabetização, em fase inicial. O projeto promoveu recentemente festas de aniversários para uma criança no Residencial 2000 e outra para uma senhora no Bairro Xarquinho, que foi estendida com doces para as crianças da comunidade. Tivemos ações na Páscoa e uma tarde de beleza em parceria com o Senap.

DOAÇÕES

O Projeto mantém-se através de doações da sociedade, alimentos, roupas, móveis. “Já realizamos arrecadações de donativos com o “Semáforo Solidário”, rifas, arrecadações de alimentos em alguns mercados da cidade”, comenta Fábio. As arrecadações de alimentos também acontecem via Redes Sociais. Os voluntários têm seus trabalhos pessoais e realizam as ações fora do horário comercial. Na sede do projeto há um espaço de armazenamento de alimentos e agasalhos (fruto de doações). As comidas distribuídas em marmitex são feitas aos sábados e entregues a moradores em situação de rua.

Como surgiu a ideia do Projeto

O interesse surgiu no ano de 2017 quando o casal Márcio Oliveira e Karina da Luz Schiligoski, visitaram um projeto na cidade de Guaramirim - SC, chamado Fome de Amor, onde são atendidas pessoas em situação de rua. Nessa visita, o casal fez muitos amigos por lá. “Queimou em nosso coração o interesse de implantarmos algo aqui em Guarapuava, e foi o que fizemos, não apenas com moradores sem residência fixa, como também com famílias da cidade em situação de vulnerabilidade”, disse Karina.

Emocionada, ela comentou que no período que começaram a trabalhar com as pessoas, o casal passou por inúmeras experiências, tanto nas ruas com seres humanos tão invisíveis pela sociedade, quanto nas casas. “Estas vivências nos proporcionam experiências riquíssimas, como foi o caso de uma mulher que conhecemos que nunca havia ganhado na vida uma festa de aniversário, a única vez que ela teve expectativas de ganhar a festa do seu marido ele faleceu em um acidente de carro, quando chegamos até ela por solicitação de uma cesta básica, ficamos muito tocados, seu rosto demonstrava apenas dor e tristeza, chorava ao contar que não ganharia a festinha e não tinha mais seu esposo. Combinamos entre nós de fazermos a festa pra ela, sem nada avisar, chegamos em sua casa no Bairro Xarquinho com bolos, salgadinhos e refrigerante. Sua alegria, sorriso, acalentou nossos corações. Em cada lar que entramos é muito gratificante”, finalizou, Karina.

Preconceito e discriminação

Profissionais do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), de Guarapuava disseram a reportagem do Jornal Extra Guarapuava, que em 2018 foram feitos: 1.593, atendimentos (morador de rua e itinerantes), dos quais, 107 são considerados itinerantes nos cadastros do CREAS. Faça parte do Projeto Amor e Atitude, indo até a sede do projeto ou ajudando com doações de alimentos, agasalhos e calçados. Contribua com o sopão, doando legumes, carnes, verduras e pães. A sede fica na rua. Levino Neitzke, na Vila Bela. Contato: 042 9843 7223 (Márcio Oliveira).