Taxis podem se tornar obsoletos

Aplicativos e grupos de carona ameaçam a profissão do taxista
 
Felipe Angonese/Jornal Extra    
Na rodoviária de Guarapuava, taxistas afirmam que a profissão não sofreu baixa nos últimos tempos,  muito pelo contrário, cresceu

Vivendo na era da tecnologia alguns hábitos antigos parecem se tornar obsoletos. O assunto do momento é o taxi. Mais especificamente a queda no uso de taxis. Aplicativos para smartphones têm se tornado pauta de acaloradas discussões, não muito longe de Guarapuava. Recentemente, em São Paulo, foi aprovada uma lei que proíbe o uso do aplicativo Uber, que gerencia caronas gratuitas e substitui o uso de taxis.

Usuários do Uber sofreram até ameaças de morte e taxistas fizeram protestos por todo o mundo. Agora a prefeitura da cidade de São Paulo irá usar a força policial para impedir o uso do APP.

Em Guarapuava, muitos taxistas trabalham de 15 a 17 horas por dia, para garantir o sustento, que pode estar sob ameaça, por causa do uso do Uber e outras ferramentas que estão deixando o taxi de lado.

Trabalhando há 15 anos como taxista, Anderson Pinto Ribeiro disse que a profissão não sofreu baixas em Guarapuava, pelo contrário, hoje em dia as pessoas buscam mais o uso de taxis. Sobre o aplicativo Uber ou similares, Ribeiro disse que nunca viu a ferramenta na cidade. "Talvez funcione em cidades maiores", complementou.

O taxista disse ainda que se o APP fosse usado aqui, seria prejudicial ao seu trabalho. "A pessoa que sabe que tem um ponto de carona não vai pagar um taxi", disse. E como a economia de uns é o prejuízo de outros, aqueles tostões que não são usados para o taxi serão investidos em outro serviço, ou produto. Os guarapuavanos ainda não estão usando o aplicativo extensivamente, mas talvez seja apenas uma questão de tempo para que a profissão taxista esteja ameaçada.

Facebook
No facebook é possível encontrar vários grupos de caronas. Para outras cidades, para dentro da cidade, ou para ambos. O administrador de um destes grupos – que preferiu o anonimato – em entrevista também via facebook, disse que o objetivo é que as pessoas possam economizar e se ajudar.

Os arranjos das caronas são feitos por inbox, geralmente por estudantes ou pessoas que não conseguiram se ajustar aos horários ofertados pelo transporte público.

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA