Surge um ídolo

A 2ª edição da Copa dos Campeões do Paraná foi disputada no último final de semana no ginásio Joaquim Prestes, em Guarapuava. Apesar de pouco badalada e com um público modesto, foi a primeira competição oficial do calendário do futsal paranaense.

Foi também a oportunidade para a torcida rever a equipe do Poler/Óleo Oleve/Guarapuava Futsal depois do título da Chave Ouro do ano passado e ter as primeiras impressões sobre a equipe de 2015. Depois de três jogos complicados (duas vitórias e um empate), ficou a certeza de que o trabalho está no rumo certo, embora alguns ajustes ainda sejam necessários.

O novo treinador João Carlos Barbosa, o Banana, demonstra muita confiança em seu trabalho e tenta passar isso para a equipe. Apesar disso, o treinador tem enfatizado, em suas entrevistas, que sua função é “não atrapalhar o time” que já conta com uma base vencedora.

Sabendo disso, Banana está sendo muito consciente, em tentar aproveitar as virtudes da equipe de 2015. Tanto que no jogo da final da Copa dos Campeões, contra o Cascavel, começou com uma formação do ano passado (Vitor, Deivão, Diego Fávero e André Maluko), adicionando os jogadores novos aos poucos nesta transição de trabalho.

No entanto, existe uma posição em que Banana não pode usar este subterfúgio: a de goleiro. Todos os arqueiros que defendiam o Guarapuava Futsal saíram do clube. Assim, poderíamos esperar que a posição sentisse um pouco mais que as demais. No entanto, aconteceu justamente o contrário: se houve uma posição que saiu quase sem falhas, na primeira competição oficial de 2015, foi a de goleiro, representada por Roncaglio, ex-atleta da equipe de Blumenau-SC (eleito melhor goleiro e revelação da última Liga Futsal).

No primeiro jogo contra o Caramuru, o gol tomado em apenas 12 segundos (com Roncaglio fora do gol, quando saía ao ataque), trouxe a ligeira impressão de que poderíamos ter uma decepção. No restante daquele jogo, porém, o arqueiro foi seguro e constante. Contra a Copagril, no empate em 0x0, foram várias defesas difíceis, incluindo a última, no último segundo de jogo, que salvou a equipe guarapuavana.

Na partida final contra o Cascavel, o torcedor pode presenciar um verdadeiro show, com direito a defesas de técnica e agilidade e situações de jogo e em tiros-livres. Apenas o ala Caça, do Cascavel, que terminou como artilheiro do certame, acertou um chute indefensável para Roncaglio. Mas o saldo, de dois gols sofridos em três jogos, foi extremamente positivo para o novo guarda-metas de Guarapuava.

Até mesmo na hora da premiação Roncaglio foi muito bem, chamando os outros três arqueiros da equipe para receber a premiação de goleiro menos vazado do torneio. Eu diria que são poucos atletas que, logo nas três primeiras partidas já têm seus nomes gritados em coro pela torcida. Mas Roncaglio superou as expectativas, com grandes chances de se tornar o grande nome do clube na temporada de 2015.

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA