Rede de Enfrentamento à Violência contra Mulheres lança cartilha de orientação

Objetivo do manual é orientar profissionais que atendem vítimas de agressão

Produzida pela Secretaria Municipal de Políticas Para Mulheres e seus parceiros, que compoêm a Rede de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres de Guarpuava, a cartilha mostra, de forma didática, os diversos tipos de agressões, e orienta os profissionias, que trabalham com mulheres vítimas de agressão, qual o melhor modo de agir.

Para a vice-prefeita e secretária de Políticas Públicas Para Mulheres, Eva Schran, a cartilha garante que todos os integrantes da Rede tenham informações suficientes para realizar  um atendimento humanizado e libertador para a mulher em situação de violência.

De acordo com a secretária, o 'manual de sobrevivência' da mulher traz o fluxo de atendimento à mulher para os casos de violência com lesão, violência sem lesão e violência sexual. 'É com muito orgulho que entregamos esta cartilha à sociedade guarapuavana para o atendimento à mulher em situação de violência. O combate à violência é responsabilidade de todos nós, mulheres e homens! Que este material seja um guia para ajudarmos muitas mulheres a saírem do ciclo de violência', diz Schran.

Outro importante aliado, no combate à violência feminina, são os Movimentos de  Mulheres, que atuam como fortalecedores das lutas das mulheres por seus direitos. Eles são a porta de entrada na rede de enfrentamento à violência contra a mulher e podem acompanhá-la para que se liberte do ciclo de violência. Em Guarapuava, há Movimento de Mulheres organizados nos bairros Primavera, Alto da XV e Xarquinho.

A violência contra a mulher se define por todo ato que possa resultar em dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico. Ameaças, coação ou privação de liberdade, violência doméstica (e qualquer outro tipo de ação), crimes passionais, exploração sexual de mulheres e meninas, violação, mutilação genital feminina, casamento precoce e forçado, infanticídio de meninas, ataques com ácido, entre outros.

A Secretaria de Políticas para Mulheres foi fundada em 8 de março de 2013 e tem como pilares de trabalho a autonomia econômica e o combate a todas as formas de violência contra a mulher, além de ser um espaço de apoio e orientação com atendimento psicológico, social e jurídico. Na Secretaria, também, são oferecidos cursos profissionalizantes, para que a mulher possa tornar-se independente financeiramente.

Em caso de violência doméstica denuncie! Ligue:
180 – Central de Atendimento à Mulher
3630 – 1700 delegacia da Mulher
190 – Policía Militar
3622-1342 – Secretaria de Políticas Para Mulheres

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA