PPS do Paraná dissolve 58 diretórios e inicia reestruturação

O diretório do PPS do Paraná aprovou a dissolução de 58 comissões provisórias e diretórios municipais que não atingiram a meta estabelecida de votação nas eleições de deputado federal e estadual em 2014. Entre eles, está o diretório de Goioxim, que pertence a Regional de Guarapuava.

O PPS avaliou casos que podem caracterizar infidelidade partidária, uma vez que alguns dirigentes e mandatários não seguiram as determinações da legenda e apoiaram candidatos que não eram do partido.

De todos os municípios paranaenses com diretórios do PPS, alguns não respeitaram a cláusula de desempenho, tanto para deputado federal quanto para estadual, outros cumpriram apenas para deputado federal ou para deputado estadual.

Foram notificados e avaliados 185 municípios. Após a comissão notificar, os dirigentes tiveram a oportunidade de manifestar e justificar o desempenho. Em seguida, a comissão eleitoral estadual elaborou um relatório que foi exposto para apreciação dos dirigentes e filiados.

“Neste caso tratamos somente das direções municipais. Não foi avaliado o comportamento de filiado ou mandatário. Demos a oportunidade de defesa para todos os dirigentes. O processo de dissolução e reestruturação é importante para o PPS se preparar para as eleições municipais”, disse o presidente da Comissão Eleitoral Estadual, Rubico Camargo.

Para o presidente do PPS no Paraná, Dr. Tobias de Santana, “as providências estão sendo tomadas para fortalecer o partido para as eleições municipais de 2016. A reestruturação implica na dissolução de vários diretórios que não atingiram o objetivo fixado pelas resoluções”.

Do total, 39 diretórios e comissões provisórias não atingiram a meta para deputado estadual e federal e foram dissolvidos. Neste caso, os dirigentes responsáveis optaram por não se manifestarem. A exceção foi o município de Marilena, que o secretário-geral Douglas Fabrício pediu destaque.

Em 19 municípios, alguma meta foi cumprida, mas os coordenadores regionais orientaram o diretório estadual a dissolver por falta de comprometimento. Já em 31 municípios, a meta estadual ou federal não foi atingida, mas a comissão estadual aceitou a justificativa dos dirigentes e decidiu optar pela absolvição.

Houve caso em que uma das metas foi atingida pelo diretório que não se justificou. 29 municípios vão receber uma advertência interna, mas não a dissolução. Em 28 diretórios municipais ocorreu a absolvição porque a meta foi quase atingida e o caso foi analisado pela comissão eleitoral.

Da assessoria

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA