Hora de recuperar o fôlego

A primeira derrota do Poker/Guarapuava Garden Shopping/Óleo Leve no Campeonato Paranaense de Futsal (Chave Ouro) pode deixar alguns torcedores preocupados. Afinal, já são dois jogos sem vencer, no empate em 1×1 com o Ampére, no 'Joaquinzão' e na derrota de 4×2 para o Marreco, em Francisco Beltrão, que custaram a invencibilidade e a liderança do campeonato.
Porém, para sorte dos guarapuavanos, o Poker terá uma grande chance de reverter a situação dos últimos jogos no próximo sábado (dia 24) jogando em casa contra o Cascavel Futsal que, com os tropeços dos guarapuavanos, assumiu a liderança isolada com 21 pontos (dois a mais do que o time de Guarapuava). O clássico, que já era esperando com ansiedade pelo torcedor, ganhou ainda mais importância, pois poderá significar a reabilitação e a volta ao topo da classificação.
Mas voltando ao jogo em Francisco Beltrão, tem dia que tudo conspira contra. Foi o caso da partida contra o Marreco. É bem verdade que, no primeiro tempo, os beltronenses foram superiores, mas o Poker teve totais chances de reverter o resultado. Na segunda etapa, quando Vitor empatou o jogo em 2×2, o time guarapuavano cresceu e tinha o domínio da partida. No entanto, justamente quando o time de Guarapuava era melhor, o Marreco 'achou' um gol, colocando mais uma vez os beltronenses na frente. Depois, com o goleio-linha, Harry teve a chance de empatar a partida, mas, com displicência, a jovem promessa do CAD mandou a bola na trave, protagonizando um lance digno do 'Improvável FC'.
Enfim… coisas que acontecem. Agora só resta à equipe guarapuavana tirar aprendizados dos últimos tropeços, focar nos próximos compromissos do estadual e tentar retomar aquele ritmo da primeira metade da primeira fase, quando a equipe vinha em um ritmo avassalador. Imbatível.
Afinal de contas, até nas derrotas dá para ver o lado bom das coisas: o pivô Bruno Petry, por exemplo, voltou muito bem, mesmo estando afastado por dois meses, devido a uma fratura no pé. Mais uma vez, o time não tremeu em um jogo difícil fora de casa, mostrando personalidade, mesmo com uma grande pressão da torcida adversária. E, para aqueles que gostam de coincidências, o CAD também perdeu jogando em Francisco Beltrão na primeira fase da Chave Ouro de 2010, naquele ano que o time foi campeão estadual.
Assim, o momento não é de críticas e, sim, de apoio a uma equipe que ainda tem muito crédito com o torcedor. No próximo sábado, o CAD deverá ter os reforços do ala Jamur e do pivô André Maluko (Biro e Danilo devem voltar só na semana que vem). Já do lado do Cascavel, o ala Caça (artilheiro da Chave Ouro, com sete gols) deverá ficar de fora, com uma lesão muscular. Some-se a isso a presença da torcida que deverá ser grande, assim como sempre é nos confrontos contra Cascavel, e o fato do time cascavelense, historicamente, não levar vantagem nos confrontos dentro do 'Joaquinzão'.
Ou seja, o Poker tem tudo para fazer do clássico do próximo sábado o grande jogo da primeira fase. Uma partida para retomar a liderança e ganhar moral para o restante do campeonato e, por que não dizer, da temporada. Como disse, o time ainda tem muito crédito. Acredito que a grande maioria dos torcedores também pensam desta forma.
Pra cima deles, CAD!

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA