Aprovado projeto que dá a técnicos benefícios do Bolsa-Atleta

Pelo texto, aprovado no Senado, bacharel em educação física terá direito ao equivalente a 10% do recebido pelos atletas treinados, com o máximo de dez bolsas

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) confirmou, em turno suplementar, o texto de proposta que estende aos técnicos os benefícios do Programa Bolsa-Atleta. O colegiado adotou em definitivo o substitutivo aprovado no início do mês de abril, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS). Agora, o texto segue para a Câmara, a menos que haja recurso para decisão final no Plenário.

Pela proposta, os técnicos devem ganhar estímulo correspondente a 10% do valor do benefício recebido pelos seus atletas, sendo possível acumular até dez bolsas. Paim acatou parcialmente projeto do ex-senador Expedito Júnior (PLS 332/2009), rejeitando o PLS 134/2010, do ex-senador Marconi Perillo.

Para ter direito ao benefício, o técnico não poderá receber salário de entidade de prática desportiva. Também exige-se que ele esteja vinculado ao atleta beneficiado por pelo menos um ano e que tenha diploma de bacharel em educação física.

Para Paim, a limitação de dez atletas por técnico, como teto para o benefício, visa evitar o “aumento oportunista” da quantidade de esportistas a serem treinados, em detrimento da melhor qualificação. Para ele, a exigência de vínculo com o atleta há pelo menos um ano também ajudará a evitar o mesmo tipo de aproveitamento.

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA