Leite materno: doar é (muito) mais que um ato de amor

Produto contém anticorpos que vão proteger o bebê durante toda a sua vida

Os bancos de leite materno dos hospitais nunca possuem leite materno suficiente, porque na maioria das vezes a oferta é menor que a demanda. Por isso, é importante que mães de bebês recém nascidos que possuam excesso de leite, procurem onde doar o produto. O que sobra para algumas, pode ser a grande diferença na saúde de outras crianças.

É assim no banco de leite do hospital São Vicente, onde Franciele Boaria, nutricionista, é a coordenadora. Na primeira vez, o banco vai até a doadora para fazer um cadastro e coletar a primeira amostra, que passará por alguns exames. Depois, fica por conta da própria doadora fazer a coleta e guardar o produto, sob refrigeração. Uma vez por semana o banco de leite vai buscar o leite.

Ainda existem algumas dúvidas rondando a atividade.  A pergunta mais frequente é: posso doar? O banco de leite, através do telefone (42)  3035-8374 esclarece essa e outras dúvidas.

A demanda por leite materno é grande. Nos hospitais são atendidos crianças internadas na UTI neo-natal e da pediatria. Muitas mães logo após o parto não possuem leite suficiente e o bebê pode ser alimentado pelo banco. O hospital arrecada, atualmente, entre 70 e 80 litros por mês, mas nem tudo é aproveitado. Mais ainda: nos meses de férias a coleta cai, porque muitas mães – doadoras – saem de férias. “A necessidade do bebê mamar é imprevisível, mas geralmente acontece a cada 3 horas”, informa Franciele. Não é uma regra rígida. Cada um tem seu tempo, acentua a nutricionista.

Mamaço

Há algum tempo um estabelecimento comercial impediu uma mãe de amamentar seu bebê alegando que isso (amamentar) não poderia ser realizado em público. Houve uma revolta nacional e algumas cidades chegaram a promover um “mamaço” – amamentação em público –  para contestar a medida.

No rastro dessa manifestação, uma lei foi aprovada prevendo exatamente o contrário: será multado o estabelecimento que impedir uma mãe de amamentar seu filho. Está lá: “todo estabelecimento fechado ou aberto, destinado a atividade comercial, recreativa ou prestação de serviço público ou privado, deverá permitir o aleitamento materno em seu interior”.

Benefícios

Tanto para o bebê quanto para a mãe, a importância da amamentação é enorme. Não importa se com o leite da própria mãe ou doado. O bebê se desenvolve com saúde, tem mais chances de recuperação de enfermidades, fica protegido contra contaminações diversas. O leite é de fácil digestão e não sobrecarrega os rins do bebê, além de facilitar no desenvolvimento e no amadurecimento físico e cognitivo.

O leite é econômico e prático. Ao ser mamado no peito está na temperatura ideal. Trás melhor resposta às vacinas que o recém-nascido precisa tomar. Na mãe, diminuem as chances do câncer de mama e de ovários, além de transmitir muito amor para ambos.

Mitos e verdades

Verdade: A mamadeira e a chupeta interferem em uma amamentação saudável para o bebê, afetando também a arcada dentaria em formação e o bebê corre o risco de contaminação.

Mito: Durante o período de amamentação integral (quando o bebê se alimenta apenas do leite materno), a mãe não corre o risco de engravidar novamente.

Verdade: O leite materno é suficiente nutricional para a criança até os seis meses de idade.

Verdade: Quanto mais acontece a doação, mais aumenta a produção do leite materno. Isso ocorre também quando o bebê  mama, quanto mais mamar mais aumenta o leite.

Verdade: Na alimentação existem algumas histórias que merecem ser desmitificada, a cerveja preta por exemplo que segundo especulações é bom para aumentar a produção do leite, é um mito, até porque a cerveja contém álcool não podendo ser ingerida pelo recém-nascido, a mãe deve se alimentar bem, comer alimentos saudáveis que fará bem para ela e para o bebê e também tomar bastante líquido, pois é através do leite que o bebê está ingerindo os nutrientes que ele precisa.

Verdade: A prótese e a mamoplastia (cirurgia nos seios), não atrapalham na amamentação, a mãe pode amamentar normalmente sem nenhuma restrição.

Verdade: O estresse da mãe pode diminuir sim o leite materno, porém não irá secar totalmente.

Mito: O ato de amamentar pode fazer a mãe perder peso porque nele há um gasto energético muito grande.

Tagged with:     , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA