Guarapuava quer reduzir ainda mais os índices de mortalidade infantil

A Secretaria Municipal aderiu à Linha Guia de Saúde do “Mãe Paranaense”, um modelo de atendimento mais próximo das gestantes

Seguindo as determinações da Secretaria da Saúde do Paraná, Guarapuava aderiu à Linha Guia de Saúde para gestantes do “Mãe Paranaense”, com um novo modelo de atendimento. Nos municípios em que foi implantada, a Linha Guia estadual já apresentou ótimos resultados e, por este motivo, a determinação foi para todas as cidades do Paraná.

Ao aderir a linha, a gestão municipal objetiva reduzir a mortalidade infantil em Guarapuava para apenas um dígito, ou seja, diminuir ainda mais a taxa que já está em queda desde 2013, que é de 10,8%.

 

O que muda?

Quando chegam até as Unidades Básicas de Saúde para iniciar o pré-natal, as gestantes são classificadas em: gestação de risco, gestação de risco intermediário e gestação de risco habitual. “Com o novo modelo, o atendimento às gestantes e bebês é melhor, pois as equipes atuam mais perto das gestantes de risco habitual e intermediário. É preciso destacar que óbitos nestes dois grupos de gestantes são evitáveis com atendimento e cuidado profissional contínuo”, explica a médica da Secretaria Municipal de Saúde, Neide Akemi Nakamura. Já as gestantes de alto risco terão acompanhamento com serviço especializado no Cisgap.

De acordo com a Secretária Municipal de Saúde, Renata Brito Araújo, o atendimento às gestantes sempre foi mais focalizado nos casos de alto risco, por isso veio a necessidade de dar uma maior assistência às gestações de risco habitual e intermediário, pois nesses casos também há óbitos. “Estávamos perdendo bebês de risco intermediário ou habitual por pequenos deslizes, como por exemplo, infecções urinárias que não eram tratadas corretamente, que as gestantes não se medicavam direito”, conta. “Nossas gestantes agora serão atendidas por uma equipe multiprofissional, não só pelo médico clínico. O acompanhamento do agente comunitário por exemplo, é um dos grandes benefícios dessa linha, pois ele irá até o lar das gestantes para verificar as condições socioeconômicas de cada uma delas, e acompanhá-las durante a gestação, monitorando as medicações e as consultuadas.  Essa é diferença. É um cuidado maior com as nossas gestantes” completa a Secretária.

Renata Brito Araújo, Secretária de Saúde, Neide Nakamura, médica de gabinete da Secretaria, Kelli Tramontina Edling, Diretora do Departamento de Atenção à Saúde e Sueli Ribeiro, Coordenadora do Centro da Saúde da Mulher.

Conforme Neide, o acompanhamento é mais eficaz quando realizado por profissionais que convivem com a realidade das gestantes. “Antes elas precisavam ir até a Unidade de Saúde de referência, que não era especificamente próxima do lugar onde elas moram. Agora, as gestantes têm a segurança de um acompanhamento frequente, com profissionais de saúde capacitados e que conhecem seu histórico de saúde. Além disto, os agentes de saúde acompanham o tratamento de doenças, como infecções urinárias e DSTs, cotidianamente e na residência da gestante”, ressalta a médica.

 

 

Capacitação

Para poder realizar esses atendimentos, todos os médicos das Unidades de Guarapuava foram capacitados e têm acesso direto com especialistas sempre que necessitarem, tanto pela Linha Guia do Cisgap quanto pelo Mamãe Guará. Vale ressaltar que o Programa Mamãe Guará, criado pela Prefeitura de Guarapuava em 2013 continua e se fortalece com a nova Linha Guia. Isso porque os profissionais especialistas que atuam na Secretaria Municipal de Saúde vão ter mais tempo para acompanhar e monitorar as gestantes que precisarem de cuidados especiais. “Toda vez que uma gestante precisar, os médicos das Unidades irão encaminhar elas para o Cisgap ou para o Mamãe Guará, dependendo da necessidade”, completou Neide.

Tagged with:     , , , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA