Buscar atendimento médico emergencial pode evitar 50% das mortes por infarto

Foto ilustrativa

Em Guarapuava as equipes além correr para salvar vidas, precisam lutar contra os trotes, que já chegou à 70% das chamadas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na última semana os dados que apontaram, que anualmente cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares no mundo. No Brasil, a média anual chega a 350 mil, o que corresponde a um óbito a cada 40 segundos, sendo duas vezes mais que todas as mortes decorrentes de câncer no país. Em Guarapuava a população conta com três unidades de apoio, dois hospitais e a Unidade Móvel (Samu) para o resgate imediato de urgências de pessoas vítimas de infarte, 24 horas/dia. De acordo com a médica, Neide Akemi Nakamura, que faz pronto-atendimento, a média de chamada até o atendimento do paciente tem sido de seis a dez minutos. “Num primeiro momento os profissionais do Samu identificam a dor e encaminham para UPA ou aos hospitais”, explica a médica. Ela alerta que as pessoas precisam se cuidar mais, na alimentação, atividade física, dormir as horas necessárias, buscando ter uma vida saudável. “Diferente de outros centros a chance de ter uma qualidade de vida em Guarapuava são muitos positivas, pela quantidade de parques, lagos, áreas de passeios e de lazer”, destacou. Chamando atenção também para os programas de saúde que são disponibilizados pela secretaria de Saúde e a prefeitura.

Questionada sobre o que a pessoa deve fazer, quando se depara com um paciente num estado de infarte, ela lembra que quando a pessoa está com uma dor torácica, não há muito o que fazer, a não ser ligar de forma imediata para o telefone 192 e pedir ajuda. Uma outra possibilidade é colocar a pessoa num veículo e se dirigir a uma unidade de atendimento mais próxima. A maioria dos casos de infartados estão relacionados nas pessoas com idade entre 45 a 60 anos

“A infantilidade do trote tem sido a maior barreira na diminuição dos índices de ocorrências envolvendo de pessoas infartadas. As campanhas educacionais envolvendo estudantes estão ajudando na diminuição dos trotes em Guarapuava”, diz a médica Neide Akemi Nakamura

Trote

Uma atitude anti-cidadania vem tirando a paz e atrapalhando o sistema estratégico de atendimento às pacientes com mau súbito ou infartados são os trotes, ou seja, ligações solicitação uma emergência que não é real. “Quando surge uma pessoa com dor torácica e as equipes estão em deslocamento para atender um trote, podemos perder vidas. A secretaria de Saúde lançou um programa em parceria com o Samu para que se busque diminuir esse tipo de infantilidade”, explica a médica Neide Nakamura. Segundo ela o número de trotes já chegou há 70% das chamadas para o disk-emergência, mas com as campanhas envolvendo alunos de 3ª e 4ª series de escolas do município, esse índice está em 30% atualmente.

Sintomas do infarto

O médico José Eduardo Marquesini, cardiologista e chefe do serviço de cardiologia do Hospital VITA, em Curitiba, destaca que infarto e demais doenças cardiovasculares, assim como, outros problemas de saúde podem ser evitados com a realização de check-up anual. Segundo ele, é fundamental que a partir dos 40 anos as pessoas tenham o hábito de consultar regularmente um médico e fazer exames para checar a saúde ao menos uma vez ao ano. “Após os 40 anos, homens e mulheres estão mais suscetíveis às doenças do coração e ao infarto. Além disso, há alguns fatores de risco que estão associados ao problema, como hipertensão arterial, colesterol elevado e tabagismo”, ressalta.

O médico explica que, geralmente, a dor cardíaca está centrada da parte torácica e em alguns casos pode ser desencadeada a partir de atividades físicas. “O caráter da dor é mais opressivo, é como um aperto, pacientes relatam que a sensação é a de como se tivesse um peso sobre o peito. Os sintomas do infarto são múltiplos, pode ocorrer dificuldade de respiração, sudorese (suor excessivo), náuseas e vômitos”, orienta Marquesini.

A dor permanece, em média, durante 20 minutos, podendo cessar e voltar. Em alguns casos, pode continuar por mais tempo, até 40 minutos”, explica o médico. Quanto à intensidade, segundo ele, pode ser de moderada a alta. “Em pacientes diabéticos e idosos, pode se apresentar de forma mascarada, isto é, não haver qualquer dor no peito, ocorrer apenas um incômodo, semelhante a uma indigestão”, ressalta. “Ao sentir dor ou algum desconforto, a pessoa deve ir imediatamente ao hospital, 50% das pessoas que morrem por infarto é porque não tiveram atendimento médico, muitas vezes por não dar importância à dor e achar que não é nada grave e que não há necessidade de buscar auxílio médico”, alerta o cardiologista.

Dicas de prevenção:

– Controlar a pressão arterial;

– Monitorar os níveis de açúcar para que estes não fiquem elevados;

– Dieta saudável;

– Praticar atividade física regularmente;

-Evitar o tabagismo.

Realizar check-up anual é solução para prevenir doenças cardiovasculares.

Tagged with:     , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA