Banco de Leite Humano de Guarapuava precisa de doações

Foto: reprodução

Mães saudáveis, que tenham feito pré-natal, podem ser doadoras. Coleta pode ser feita no Hospital São Vicente de Paulo ou em casa

 

Assim como acontece com as doações de sangue, as doações de leite materno também costumam diminuir durante o inverno. Por isso, o Banco de Leite Humano de Guarapuava, que fica no Hospital São Vicente de Paulo, está precisando de doações.  Segundo a nutricionista coordenadora do banco de leite, Franciele Boaria, nessa época do ano, acontece uma diminuição tanto do número de doadoras quanto do volume de leite doado pelas mães.

Todas as mães saudáveis da região que tenham feito acompanhamento pré-natal podem ser doadoras.  Os enfermeiros do banco ensinam os procedimentos corretos para a coleta e armazenamento do leite antes de encaminhar o alimento para o hospital. “As mães que não podem vir até o Hospital São Vicente para fazer a doação podem ligar para nós e solicitar que agentes do banco busquem o leite em casa”, diz Franciele. Após a doação, o hospital armazena o leite e separa a quantidade ideal para cada bebê internado.

A recomendação dos médicos é que o leite materno seja a única fonte de alimentação do bebê até os seis meses. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que a amamentação seja substituída gradativamente por outros alimentos. O leite é insubstituível e fundamental na alimentação dos bebês, principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe, por isso a doação se faz tão necessária.

DOAÇÕES

As mulheres que se interessarem e quiserem doar leite para o banco de Guarapuava podem ir pessoalmente até o Hospital São Vicente ou agendar uma visita das agentes do banco de leite em casa. O telefone para realizar o agendamento é (42) 3035-8374.

Aniversário do Banco de Leite 

Esse ano, o banco de leite completou 4 anos de atuação em Guarapuava e região. Entre os serviços prestados pelo banco de leite está orientar as mães sobre a importância da amamentação e da doação da sobras, que podem ser enviadas a hospitais ou a bebês prematuros, em tratamento. Durante esse tempo de atividades, o banco de leite conseguiu atingir uma grande quantidade de doadoras, e ajudou muitos bebês. De novembro de 2015 até abril de 2017 foram 2.052 doadoras e 1.225 receptores do leite.  “Muitas mães que a principio iriam doar em curto prazo, conseguiram doar a longo prazo porque tiveram o apoio do banco de leite e foram bem atendidas” comemora Franciele.

 

Tagged with:     , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA