Primeira representação eleitoral é do Dr. Antenor contra Luciano Gago

Representação ocorreu porque, em um de seus programas, Luciano Gago enfatiza que é preciso punir o médico que deixa o paciente na fila de espera, “e vai pra casa fazer política distribuindo atestado a torto e direito.

A “censura pública” do Conselho Regional de Medicina (CRM) contra o médico Antenor Gomes de Lima, por distribuição indiscriminada de atestados médicos, entrou no debate político entre os candidatos a prefeito em Guarapuava e já repercute na Justiça Eleitoral. O assunto foi tratado num dos programas do candidato Luciano Gago (coligação “Nova Guarapuava”), onde ele afirma que uma de suas propostas para os problemas da saúde do município é a implantação de um “programa rigoroso de fiscalização” do atendimento à população e cita como exemplo, a decisão do CRM contra Dr. Antenor (coligação “Guarapuava é a gente que faz”).

No começo da fala, Luciano Gago faz críticas diretas ao candidato à reeleição, Cesar Silvestri Filho, afirmando que “os avanços na cidade não tiveram força para resolver os graves problemas do nosso povo”. Ele afirma que “dinheiro a Prefeitura tem de sobra”, mas o que falta “é fiscalização”, e faz menção “à bandeira vermelha” para enfatizar que é preciso “punir” o médico que deixa o paciente na fila de espera, “e vai pra casa fazer política pensando apenas nele mesmo, distribuindo atestado a torto e direito, gerando prejuízos para empresas e também para o serviço público”.

A assessoria jurídica de Dr. Antenor entrou com representação eleitoral contra Luciano Gago, acatada em partes e em caráter liminar pelo juiz Bernardo Fazolo Ferreira, pedindo direito de resposta e a suspensão da veiculação do programa na televisão. O juiz concedeu apenas a retirada do programa e deixou para decidir o direito de resposta quando analisar o mérito do pedido.

A assessoria do candidato Luciano Gago informou que a decisão judicial não afeta “em nada” o andamento da campanha. O programa, por sua vez, já não está sendo mais veiculado.

Luciano Gago salientou que evitou citar o nome de Dr. Antenor no programa eleitoral, por ser uma crítica de fundo político, e que vem pautando suas declarações sempre com a intenção de deixar evidente seu posicionamento contrário aos seus dois principais opositores – o próprio Dr. Antenor e o prefeito Cesar Silvestri Filho. “A menção à ‘bandeira vermelha’ se enquadra no sentimento de repulsa que parte considerável do povo guarapuavano cultiva em relação ao PT, notoriamente favorável ao impeachment, e tudo o que o símbolo da bandeira vermelha lembra de corrupção, do período sombrio da história recente do nosso País”, esclarece Luciano Gago, ao mesmo tempo em que sustenta estar fazendo um discurso político legítimo dentro do jogo eleitoral, procurando separar sua candidatura dos demais oponentes. “Eu falo de Cesar Filho, citando a palavra ‘avanço’, tema central de sua campanha em 2012, e também ‘força’, que é o seu slogan atual, e nem por isso o candidato à reeleição vestiu a carapuça, como fez Dr. Antenor”, dispara Luciano Gago.

Agora que foi alvo da representação eleitoral, Luciano Gago chama atenção para a “gravidade” da decisão do CRM contra o médico Antenor Gomes de Lima, publicada há poucas semanas. A denúncia pública está baseada em dois dispositivos do Código de Ética Médica – o artigo 80, que dispõe sobre “expedir documento médico sem ter praticado ato profissional que o justifique, que seja tendencioso ou que não corresponda à verdade”; e o artigo 87, “deixar de elaborar prontuário legível para cada paciente”.

Luciano Gago lembrou que a punição do Conselho Regional de Medicina está no segundo nível de advertência a um médico, abaixo somente da cassação do registro profissional. “Não estamos inventando um fato político. A decisão do CRM é real, é grave e traz à luz do debate político-eleitoral, um ponto de extrema incoerência do candidato petista – de um lado, ele pregando mudanças no atual modelo de saúde da Prefeitura; do outro, ele respondendo a uma ação do seu órgão de classe, o CRM, que conflita diretamente com o seu discurso de pseudo-mudança”, observa Luciano Gago. “É dentro desse contexto que eu situo a minha candidatura, de que a verdadeira mudança sou eu”, acrescenta.

O Extra procurou a assessoria do candidato Antenor Gomes de Lima, mas não obteve retorno.

Tagged with:     ,

About the author /


Extra

1 comentário

  1. João Francisco de Assis

    DIZEM POR AÍ QUE O DR ANTENOR FAZ MESMO O QUE ESTÃO LHE ACUSANDO, SÉRA QUE ELE FOI CONTAMINADO PELA AQUELA CORJA DE BANDIDOS DE AFUNDARAM O BRASIL, QUE DILAPIDARAM OS COFRES PÚBLICOS, SEM CONTAR A MÁFIA QUE DESVIAVAM DINHEIRO DOS APOSENTADOS, E POR AÍ VAI, MEU DEUS ONDE VAMOS PARAR.

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA