Justiça Eleitoral decide pela aliança do PMDB com Cezar Silvestri Filho (PPS)

O juiz eleitoral Bernardo Fazolo Ferreira, da 43ª Zona Eleitoral, de Guarapuava, decidiu, na última quinta-feira (15), que o PMDB municipal deve apoiar a candidatura de Cesar Silvestri Filho (PPS), como definido pela comissão anterior do partido na cidade. O magistrado considerou nula a outra convenção da legenda que decidiu pela coligação com Dr. Antenor (PT).

A disputa se arrastava desde julho, quando a Executiva Estadual do PMDB entrou em conflito pelo comando da comissão municipal do partido. Houve então a irregular dissolução do grupo presidido por Nivaldo Krüger. Assim, foram realizadas duas convenções do PMDB municipal: uma da comissão indicada pelo Diretório Estadual, sob a presidência de Ramon Silva, que decidiu coligar com PT; e outra presidida por Krüger, que decidiu pela aliança com o PPS.

Num primeiro momento, a defesa da comissão presidida por Krüger, conduzida pelo advogado Gustavo Guedes, pediu o retorno do comando municipal do partido, o que não foi atendido pelo juízo. Em nova representação, a defesa argumentou que as Cortes eleitorais decidiram de modo diverso em questões de mesmo tema. “A antecipação do final do prazo de mandato, mesmo nas comissões provisórias, somente pode ocorrer com prévio procedimento administrativo, com contraditório e ampla defesa, o que não ocorreu nesse caso”, menciona Guedes.

A defesa aponta ainda que a dissolução da comissão provisória só ocorreu por inconformismo do senador Roberto Requião (PMDB) com a pretensão de coligação do partido com o PPS local. “Mas, o presidente do Diretório Nacional do PMDB, senador Romero Jucá, liberou os municipais para que formulassem suas próprias políticas de alianças”, explica o advogado.

Na nova decisão, o magistrado ressalta que a anulação de convenções partidárias só pode ocorrer quando há divergência sobre as regras fixadas pelos diretórios nacionais dos partidos. “A divergência entre o Diretório Estadual e a Comissão Provisória Municipal no concernente ao direcionamento do partido político quanto à formação de coligações, certamente não autoriza que aquele possa anular a convenção partidária que tenha atingido seus interesses”, avalia.

Foram contra

O deputado federal João Arruda, secretário estadual do PMDB, classificou como uma traição o gesto local do ex-prefeito Nivaldo Kruger e reforçou o apoio do partido ao candidato Dr. Antenor (Guarapuava é a gente que faz). “O PMDB do Paraná continuará firme com Antenor”, afirma o parlamentar em Nota Oficial.

De acordo com o deputado João Arruda, a comissão provisória anterior havia sido constituída com o apoio de Requião, com o compromisso de se alinhar às orientações estaduais e conduzir o processo eleitoral conjuntamente. Para o deputado, a traição mostra o estilo de fazer política dos adversários. “Passaram tanto tempo se criticando e agora estão juntos, até com os Mattos Leão, de quem sempre foram adversários e que comandaram o PMDB de Guarapuava por 25 anos sem que Kruger se opusesse”.

Ainda de acordo com o deputado João Arruda, a traição de Nivaldo Kruger, ex-secretário de Estado no Governo de Requião, foi uma “brutalidade” e não está em consonância com o partido no Estado. “As pessoas que eram da extrema confiança de Requião e que não estariam na política há anos não fosse o senador o traíram. Responderam à confiança que receberam com traição. Mas o povo de Guarapuava não vai se enganar. O PMDB que quer Guarapuava melhor votará para Antenor prefeito”. O deputado disse ainda que o PMDB do Paraná será aliado de Antenor na condução dos interesses de Guarapuava na Câmara e governo federal. “Lutaremos pela cidade para que possamos juntos oferecer melhores serviços públicos”.

Tagged with:     , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA