Jovem tem nome citado em ação por equívoco da polícia

O jovem Diego Herbert da Silva teve o seu nome envolvido, equivocadamente, na Operação Bala da Noite. Por estar sendo considerado o traficante que fez a delação premiada provocando o desmantelamento da quadrilha que envolve jovens da classe média alta de Guarapuava, Diego disse que teme represálias. “Estou recebendo muitas mensagens por dia e sendo taxado de dedo duro, por uma coisa que eu não fiz. Não tenho a nada a ver com essa operação”.

De acordo com o advogado de Diego, João Daniel Schemin, o delegado adjunto da 14ª Subdivisão Policial, Alysson de Souza, que preside as investigações, se equivocou ao digitar os nomes e envolveu Diego Herbert da Silva. “Ele [o delegado]  prestará esclarecimentos perante o juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Guarapuava, no sentido de que menciona em algumas vezes o nome de Diego Herbert da Silva, o suposto delator dos acusados, o que não é verdade”, disse advogado. Em declaração ao site RedeSul de Notícias, Alysson de Souza confirmou o equívoco. “Houve erro de digitação apenas uma vez e o nome do outro envolvido foi citado diversas vezes no inquérito”, afirmou.

Embora Diego tenha sido envolvido na Operação Cidadania, em novembro de 2015, tendo sido preso junto com outras 12 pessoas numa loja de som automotivo no Bairro Boqueirão , ele diz que nunca teve contato com os acusados na Bala da Noite. “Nunca ouvi falar e nem conheço eles”. Segundo o advogado João Daniel Schemin, Diego não foi preso em flagrante portando ou possuindo droga, não possui irmão adolescente, como mencionado em trechos da pedido de prisão preventiva compartilhado em redes sociais e em grupos do WhatsApp.

“Só quero que o meu nome seja retirado dessa ação, porque estou fora disso e estou sendo prejudicado e me sinto ameaçado”.

RedeSul

Tagged with:     , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA