Na área: Recomeço, com muita esperança

Márcio Nei Santos

No último sábado, 12, a equipe do Poker Óleo Leve Guarapuava Futsal tinha um desafio complicado pela frente, recebendo no Joaquinzão o, até então, líder do Campeonato Paranaense de Futsal (Série Ouro), Marreco, de Francisco Beltrão. Do outro lado da quadra estava uma das equipes que mais investiram em seu elenco, entre todas as equipes do futsal nacional, com o reforço do, recém contratado, técnico Baiano, velho conhecido do torcedor guarapuavano (afinal de contas, comandando o CAD, o treinador ganhou dois de seus seis títulos estaduais).

Do lado do Guarapuava, um time de garotos. Sofrendo com a crise financeira, há duas temporadas, a diretoria optou por sanar as dívidas e apostar em uma equipe de baixo custo, mas com muita dedicação, com cada um buscando seu espaço dentro do competitivo futsal paranaense. Além disso, o jogo marcou a estreia do experiente técnico Antônio Rubens Vaz, o Foca. Campeão mundial pela Impacel, que contava com a base da Seleção Brasileira de Futsal, na década de 1990. Agora, porém, o treinador estava clube desde que saiu da modesta equipe de Dois Vizinhos, em 2016.

Neste confronto de “Davi contra Golias”, o primeiro golpe foi dos guarapuavanos, abrindo o placar com Roni. Fabiano, do Marreco, empatou, e, no final da primeira etapa, o guarapuavano Barbosa colocou novamente os anfitriões na frente do placar. No segundo tempo os visitantes voltaram a empatar, com gol de Barbosinha, mas a noite era de Eder que tocou na saída do goleiro Quinzinho, fazendo 3×2. O final ficou emocionante, com o Marreco se lançando ao ataque com goleiro-linha. A tática deu resultado e os beltronenses empataram novamente, com Canhoto.

Foi neste momento, com menos de um minuto para o final da partida, que Foca pediu tempo e acalmou os jovens jogadores sendo taxativo: “Não podemos baixar a cabeça”. Na volta do tempo, o time do Marreco continuou com o goleiro-linha, em busca da virada, mas, desta vez, foi o Guarapuava que tirou vantagem da situação: Eder ficou com a bola e mandou para o gol vazio, definindo a vitória por 4×3.

É muito cedo para prever algo. É prematuro dizer que o aproveitamento será melhor com o novo técnico. Mas uma coisa é certa: não vai faltar vontade por parte do elenco e vai sobrar experiência no banco de reservas. Uma boa receita para um novo começo, quem sabe, rumo à novas glórias.

#ForçaCAD!

Tagged with:     ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA