O perigo está nas calçadas

Andar pelas ruas de Guarapuava pode ser uma aventura. Seja pela falta de sinalização, buracos, calçadas ou ainda pelas lixeiras que povoam os muros. Já houve quem, andando distraído, chocou-se contra uma delas. Andar com um hematoma na testa é sorte, pois muitos se cortam. E quem nunca bateu a cabeça, pelo menos já teve que desviar dos depósitos de lixo.

O perigo é ainda maior quando falamos de idosos, que por capricho da natureza ficam com os sentidos menos aguçados e podem não notar estes obstáculos. Pessoas com deficiência visual então, praticamente não têm como evitar o choque, já que muitos se localizam usando a chamada ‘bengala longa’ para tatear as calçadas e saber por onde podem andar. Mas e quando o obstáculo está mais em cima?

E a situação é geral. A cada quarteirão tem uma, duas, três ou mais lixeiras do tipo. Há pontos em que o tráfego de pedestres precisa se afunilar entre a lixeira e um poste.

Emanueli Almeida Gomes, pedestre guarapuavana, disse se sentir incomodada pelas lixeiras. “A gente passa meio distraído na rua e quando vê já tá em cima. Eu nunca cheguei a bater, mas já vi pessoas de mais idade se machucando nesses lixos”, contou.

Uso correto

Estas lixeiras até possuem um sistema retrátil, pelo qual é possível erguê-la, deixando bem próxima do portão ou muro. Porém são pouquíssimas as vezes que vemos uma lixeira que não esteja abaixada, interferindo na passagem dos pedestres, esteja ou não com lixo.

E talvez não seja necessária uma regulamentação ou lei que proíba este tipo de lixeira, mas apenas o bom uso. Seja o proprietário ou o coletor do lixo, alguém precisa reduzir este perigo nas ruas. Emanueli disse não saber de quem é a responsabilidade de levantar a lixeira, mas não aguenta mais ter que desviar.

Não há nada previsto no código de posturas do município. Ou seja, se não é proibido, está liberado. Talvez esteja na hora da Câmara Municipal de Vereadores analisar com maior profundidade a questão e se posicionar à respeito. Ou teremos que esperar alguém com sequelas maiores que hematomas na testa ou noutra parte do corpo para que isso seja feito?

Tagged with:     , , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA