Chuvas acima da média histórica provocam interdições de rodovias

As chuvas das últimas 24 horas aumentaram para 19 o número de rodovias interditadas por causa das chuvas. Na segunda-feira (22) eram 17 rodovias bloqueadas totalmente ou parcialmente. Hoje, mais duas rodovias foram atingidas: PR-180, próximo de Cruzeiro do Oeste, e a PR-534, entre Miraselva e Centenário do Sul.

Topógrafos do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) fizeram um levantamento, nesta terça-feira (23), na PR-180 entre Cruzeiro do Oeste e Mariluz, na região Noroeste. Em razão das fortes chuvas de segunda-feira (22) o bueiro que passa sob a rodovia não suportou a vazão e rompeu. O aterro e parte do asfalto foram arrastados pela força da água.

O tráfego está totalmente bloqueado no km 169,5 da PR-180. As opções de desvio são pela PR-468 em Umuarama e pela PR-479 por Tuneiras do Oeste. Após ser feito o levantamento técnico o DER-PR fará um projeto emergencial para as obras de conserto da rodovia.

Na PR-323, km 296,5 em Umuarama, a chuva intensa dos últimos meses provocou o rompimento de um bueiro no acostamento da rodovia. As obras estão previstas para começarem na próxima semana. O tráfego está sendo feito em pista simples no local.

METEOROLOGIA – Segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), desde o fim do ano passado estão sendo registradas chuvas acima da média no Paraná.

“Desde o fim da primavera temos chuvas acima da média em grande parte do Estado, uma consequência do fenômeno El Niño”, explica a meteorologista Ana Beatriz Porto.

Em quase todas as estação do Simepar no Noroeste foram registradas chuvas acima da média neste início de ano. Em Apucarana a média histórica é de 209 milímetros de chuva para janeiro. Porém, no primeiro mês de 2016 foram registrados 560 mm, um aumento de 167%.

Para fevereiro a média de chuvas em Apucarana é de 179 mm, mas desde o início do mês já foram registrados 224 mm (25,2% a mais).

As chuvas também superam o previsto na estação de Umuarama. Em janeiro a média é de 174 mm, mas neste ano foram 208 mm, aumento de quase 20%. Para fevereiro a quantidade histórica de chuva também deverá ser superada. Até segunda-feira (22) choveu 180 mm. A média para este mês é de 257 mm.

Em Cianorte, a situação se repete. A média de chuva em janeiro é de 211 mm. Neste ano, porém, foram registrados 274 mm (30% a mais). Ainda faltam seis dias para fevereiro terminar, mas a média de chuvas em Cianorte para o mês já foi superada. Até segunda-feira (22) foram registrados 275 mm de chuva. A média do mês é de 171 mm. Já choveu 60% a mais que o esperado.

Pontos de interdição nas rodovias estaduais:

NOROESTE

– PR-542, entre Nossa Senhora das Graças e Alto Alegre, km 23. Rompimento do bueiro, deslizamento da pista e aterro. Equipes do DER-PR fazem o levantamento topográfico para definir um projeto emergencial (tráfego interditado).

– PR-317, entre Colorado e Nossa Senhora das Graças, km 31. Obstrução de bueiro. O levantamento topográfico está em execução (tráfego em meia pista).

– PR-218, entre Amaporã e Planaltina do Paraná, km 402. As equipes trabalham na recomposição do bueiro e do aterro. O tráfego deve ser parcialmente liberado em março (interditado).

– PR-218, entre Paranavaí e Graciosa, km 365. As equipes fazem a recomposição do aterro e do bueiro (interditado).

– PR-323, acesso a Tapejara, km 247. A recomposição da pista está em andamento e a previsão é que o trecho será totalmente liberado até o final de maio (tráfego por desvio).

– PR-486, acesso a Alto Piquiri. O levantamento topográfico foi concluído. Estão em andamento o projeto e o orçamento para recomposição do aterro (tráfego interditado, com desvio no local).

– PR-486, acesso a Brasilândia do Sul, km 98 e km 122. A recomposição do aterro em andamento (tráfego interditado, com desvio no local).

– PR-218, acesso a Ângulo. O projeto e os orçamentos para a obra já foram concluídos (tráfego em meia pista).

– PR-494, acesso a São João do Caiuá. O levantamento topográfico da ponte sobre o Rio São Francisco e o projeto de recuperação já foram concluídos (tráfego interditado).

– PR-680, entre Maria Helena e Vila Formosa, km 7. Erosão no trecho. (tráfego em meia pista).

– PR-458, entre Florida e Atalaia, km 51. As equipes já concluíram a elaboração do projeto e o orçamento para recomposição do aterro da cabeceira da ponte do Rio Pirapó. Foi dada ordem de serviço para início das obras (tráfego interditado).

– PR-542, entre Alto Alegre a Colorado. Levantamento topográfico em execução para recomposição de bueiro (tráfego em meia pista).

– PR-323, km 296,5 em Umuarama. Rompimento de bueiro. As obras deverão começar na segunda-feira (29). O trânsito está bloqueado no sentido Umuarama – Maringá. O tráfego é feito em pista simples no local (tráfego interditado, com desvio no local).

– PR-180, km 169,5, entre Cruzeiro do Oeste e Mariluz. Rompimento do bueiro e deslizamento do aterro e asfalto. Nesta terça-feira (23) topógrafos do DER-PR foram ao local para fazer um levantamento dos danos e projeto emergencial de conserto (tráfego interditado).

NORTE

– Na PR-436, km 102, (Ponte Rio das Cinzas). Até que o trecho seja recuperado, será instalada uma balsa, que está sendo transportada para a cidade. A travessia poderá ser feita por veículos leves, sem cobrança para os usuários. Também está em andamento o levantamento topográfico para recuperar a ponte sobre o Rio das Cinzas, entre Bandeirantes e Itambaracá. Os motoristas devem seguir por Andirá (tráfego interditado).

– PR-538, em Londrina. As equipes fazem o levantamento topográfico e elaboram o projeto básico para contratação de uma empresa, por regime emergencial, para recuperar a ponte do Rio Bandeirantes (tráfego em meia pista).

-PR-534, entre Miraselva e Centenário do Sul, houve rompimento do bueiro (tráfego interditado).

CAMPOS GERAIS

– PR-092, em Wenceslau Braz. Houve queda do aterro, problemas no bueiro e deslizamento da pista (trânsito liberado com desvio no local).

CONCESSIONADAS

– PR-444, em Arapongas. Rompimento da rodovia entre os km 1 e 2. Motoristas que trafegam pela região devem passar por dentro de Arapongas para acessar o km 5 da rodovia. O trecho é de responsabilidade da concessionária Viapar. O local foi sinalizado e as equipes já trabalham no local. O prazo para liberação é de 20 dias (tráfego interditado).

– BR-376, Serra do Cadeado, km 303, sentido Curitiba. O pavimento foi danificado. A concessionária Rodonorte, responsável pelo trecho, executa serviços no local. A previsão é liberar a rodovia em seis meses (tráfego meia pista).

 

Tagged with:     , , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA