Alunos paranaenses participam da gestão de escolas estaduais

Escola arrumada, merenda nutritiva, professores, funcionários e estudantes comprometidos com o rendimento escolar. Essa é a receita de uma escola boa e eficiente, de acordo com os próprios estudantes da rede pública estadual que participam das decisões do programa Escola 1000. Por meio dele, o Governo do Estado vai destinar R$ 100 milhões para melhorias em mil escolas. A própria comunidade define o que será feito com os recursos em cada unidade, que receberá R$ 100 mil para investir.

Além de solucionar problemas emergenciais, o programa aproxima a comunidade das decisões escolares e reforça a participação estudantil. “A participação de toda a comunidade escolar é fundamental, tanto pela escolha da intervenção quanto pela transparência e controle da aplicação do dinheiro”, explicou o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni.

“Trabalhamos por uma educação cada vez melhor, não só com foco no aspecto pedagógico, mas oferecendo também alimentação variada e de qualidade e investindo em infraestrutura, como é o caso do programa Escola 1000”, destacou a secretária da Educação, professora Ana Seres.

Para as alunas do 9° ano do ensino fundamental do Colégio Estadual Guido Straube, de Curitiba, Maria Luiza Santos e Ana Carolina Ramos, uma escola ideal precisa contar com bons professores, funcionários dedicados e com uma boa estrutura física. “A escola precisa ser acolhedora”, disse Ana, de 15 anos.

Segundo Maria, a educação abre infinitas possibilidades para o sucesso na vida pessoal e profissional, mas para isso é necessário que o espaço físico atenda às necessidades dos estudantes. “Os alunos precisam ser motivados a permanecer na escola. Então, o colégio tem que ter uma merenda de qualidade, uma boa pintura, salas e corredores limpos”, disse Maria, que tem a mesma idade da colega.

O envolvimento de toda a comunidade foi fundamental, na avaliação dos alunos. “Incluir a opinião dos estudantes e da comunidade torna os investimentos mais eficientes porque os reparos serão feitos onde a escola mais precisa. Antes, o dinheiro era repassado para a escola, mas os alunos não participavam da decisão sobre onde e como seria usado”, comentou a aluna Beatriz Mendes de Izidoro Teixeira, do 1° período do curso técnico em enfermagem.

Sua colega de curso, a estudante Daiara Correia Portela, explica que a participação dos estudantes é muito importante. “Somos nós que vivenciamos diariamente as necessidades da escola. Por isso, a nossa opinião é fundamental para a aplicação desses recursos”, disse Daiara.

No Colégio Estadual Guido Straube, aproximadamente 500 pessoas participaram da audiência que definiu quais setores da escola receberiam os recursos. O colégio tem cerca de 800 estudantes, entre ensino fundamental, médio e técnico.

Foi decidido pela comunidade que o dinheiro será destinado para reforma geral dos banheiros masculino e feminino e do muro, além de pintura externa do prédio e das salas de aula, instalação de sensores elétricos e a troca da rede elétrica.

Novas adaptações sugeridas pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil em relação a normas de segurança estão entre as melhorias. “Esse programa veio em boa hora porque com as reformas a escola vai ficar mais segura para os alunos, professores, funcionários e também para a comunidade”, disse a diretora do Guido Straube, Rosália de Mello.

 

Por: Agência de Notícias do Paraná

Tagged with:     , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA