Bola de Neve Church, a igreja que nasceu na prancha

Há seis anos em Guarapuava, a igreja acredita no jovem e no poder de transformação do amor em Cristo. Essa é mais uma entrevista da nossa série sobre igrejas

O nome é diferente, o que começou com uma reunião de oração em um barracão improvisado. Não tinha púlpito, nem cara de igreja. A Igreja Evangélica Bola de Neve, mais conhecida como, Bola de Neve Church está há 17 anos levando jovens e suas famílias para dentro do evangelho de Cristo.

ORIGEM

A igreja teve início em 1999, com o apóstolo Rina, na cidade de São Paulo. A primeira reunião se deu em um barracão de uma fábrica de surfwear, cedido por um empresário do ramo. O primeiro encontro haviam 130 pessoas, na sua maioria jovens.

Como a reunião foi feita em improviso, apóstolo Rina, não tinha onde apoiar a bíblia, foi onde a identidade visual da igreja começava. Foram utilizadas de púlpito duas cadeiras e uma prancha de surf.

Em Guarapuava, a igreja está há seis anos.

NOME

Segundo Filipe Rolin, mais conhecido como Pastor Lipe, pastor da igreja em Guarapuava, o nome se deu por, no início, como era uma pequena reunião de oração escolheram ‘bola de neve’, pela necessidade de acreditar no futuro. “Eles sentiam a necessidade de acreditar que começaria pequena e mais tarde se tornaria uma avalanche”, comentou.

AÇÕES

Dentro da Bola de Neve há um departamento de ações sociais, o Ministérios de Assistência Social, onde são levados alimentos para o corpo e para a alma para pessoas carentes. “Se eu pudesse definir a vida de Jesus em uma única palavra, e a assistência social é o amor em praticas, e nós temos como objetivo levar para as pessoas o alimento físico e o alimento espiritual”, destacou pastor Lipe.

Outro ministério é o “Nova Vida”, carinhosamente chamado de NV, onde são cuidadas compulsividades em geral, desde a drogadição, alcoolismo, todo tipo de vícios. Pastor Lipe explica que essas ações são feitas sempre através da doutrina da bíblia. “Com a bíblia passos bíblicos, experiências pessoais e atitudes que fazem a pessoa entender que ela é primeiro um dependente, que ela precisa caminhar de uma forma diferente do que ela vive”.

Além das atividades de assistência social, as artes estão presente dentro da igreja. A música, o teatro e a dança, assim como a pintura e outras artes são vistas como formas de adorar a Deus. “Adorar um dos significados é dar, então é poder externar aquilo que você quer a Deus, uma das formas é a música em todos os estilos possíveis”, o pastor ainda conta que os estilos são preservados e respeitados, como o sertanejo universitário, o rock, o reggae.

FIÉIS

No começo da caminha a Bola de Neve era uma igreja de maioria jovem. Hoje, segundo o pastor, essa realidade vem mudando. Muitos jovens estão trazendo seus pais para a igreja, a transformando em uma igreja de famílias.

DÍZIMO

“Dízimo é o seguinte, é um princípio bíblico e a bíblia me faz acreditar, que é uma declaração de gratidão e amor ao reino de Deus”.

PECADO

Dentro da missão o pecado é visto como algo que deve ser confessado e curado. Segundo Lipe, ele independente do seu tamanho, se é visível ou não, ele é uma afronta a Deus. “O que eu vejo é um alvo, esse alvo é deus o pecado atrapalha você em acertar esse alvo”.

ESTEREÓTIPOS

Por ser uma igreja recente e iniciada por jovens que tinham o ideal de adorar a Deus, o pastor conta que, há a necessidade da decência dentro da igreja, assim como acreditam que o que Deus quer é o coração das pessoas. “Se a tua casca precisa mudar, Jesus vai colocar isso no seu coração pra que se mude”, completou.

HOMOSSEXUALIDADE

Um assunto delicado que sempre ronda as igrejas, é a homossexualidade, segundo o pastor, sempre que pode é algo que se conversa com os fiéis. “O que eu posso dizer, do meu coração, sobre isso é que nós os amamos”.

RESTRIÇÕES

Dentro da Bola de Neve não há restrições ditas, pastor Lipe, ressalta a vida de Jesus quando esse não dizia “faça isso ou aquilo”, mas sim, pregava o amor e a transformação. “Acredito que quem ama, te da uma opção de escolha, se não você vive uma ditadura. Quem ama te da a opção de escolha, gosto muito de um trecho que diz “eles confundem ilusão com liberdade”,  a questão é: ser careta é ruim?”.

Tagged with:     , , , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA