Remuneração do PSS na educação cresceu 64% nos últimos sete anos

Foto: Agência Estadual de Notícias

Para 2018, o edital do exame de seleção prevê remuneração de R$ R$ 3.281,20

Nos últimos sete anos, a remuneração dos professores temporários que atuam na rede estadual de educação do Paraná teve crescimento de 64%. Em 2010, um profissional contratado pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS) recebia R$ 2.001,87 para uma jornada de 40 horas. Para 2018, o edital do exame de seleção prevê remuneração de R$ R$ 3.281,20 para a mesma carga horária.

Nos dois casos, a remuneração total agrega o auxílio-transporte, que também é depositado em dinheiro. Atualmente, este benefício é de R$ 826,00. O valor é equivalente a R$ 37,55 por dia (para 22 dias úteis por mês) e é pago mesmo durante férias, recesso e licenças, 13o. salário e terço de férias. Além disso, o Governo do Paraná assegura 37,5% da jornada para a hora-atividade, para realização de tarefas extraclasse, sendo que a lei prevê apenas um terço.

Caso fosse mantida como regra a aplicação de índices de inflação para reajustar o salário do quadro PSS, a remuneração total de professores temporários no Paraná seria atualmente de R$ 2.960,08, com correção pelo IGP-M, ou de R$ 3.101,91, com cálculo pelo INPC. O valor proposto para o próximo ano, de R$ 3.281,20, também está acima do piso nacional para o magistério para 2018, que será de R$ 2,4 mil.

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni se reuniu nesta segunda-feira (18) com representantes da APP-Sindicato para discutir a remuneração dos professores que serão contratados pelo regime PSS no ano que vem. O encontro aconteceu após a invasão do Palácio Iguaçu por sindicalistas e o secretário explicou que não há como aumentar o orçamento da Secretaria Estadual da Educação (SEED).

RESPONSABILIDADE

“Estamos falando em um custo adicional de R$ 180 milhões e o governo precisa agir com a responsabilidade de quem tem que pagar. A única forma de reajustar os vencimentos dos professores temporários, ou autorizarmos gastos extras, será através de remanejamentos no orçamento da Educação. Se APP puder, que nos ajude nisso”, disse.

Rossoni também lembrou que o Paraná é um dos estados que mais investe em educação, com 35% das receitas. “Também pagamos os salários e o décimo terceiro sem atrasos, zeramos as progressões de 2016 e 2017, que nos custou R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos, e fizemos um acordo judicial de R$ 550 milhões com os professores”, explicou o secretário. “E temos que nos programar para honrar as progressões do ano que vem, onde investiremos mais R$ 180 milhões. Ou seja, não há milagre”, explicou.

Rossoni ressaltou que para 2018, o Paraná precisa cumprir o acordo do teto de gastos formalizado entre estados e a União para enfrentar dificuldades da crise econômica.

PROCESSO SELETIVO

As inscrições para o Processo Seletivo Simplificado (PSS) ficarão abertas de 2 a 12 de janeiro, no site da Secretaria de Estado da Educação. O exame consiste em prova de títulos referente à escolaridade, tempo de serviço e aperfeiçoamento funcional. Os profissionais serão divididos entre os 32 Núcleos Regionais de Educação, conforme a necessidade de cada regional. Devem ser chamados pelo menos dez mil educadores.

Serão selecionados professores, pedagogos, guias intérpretes e tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais. Esses profissionais atuarão nas escolas da rede pública estadual e conveniadas em 2018. A classificação será divulgada no final de janeiro, com a antecedência necessária para a distribuição de aulas.

 

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA